#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

23.10.07

Essa mulher anda me perseguindo. Vou diminuir o passo ...

Bernardo Bertolucci, Ridley Scott, Fernando Meirelles e eu não somos amigos, nunca estivemos juntos, nunca trocamos e-mails, mas temos algo interessantíssimo em comum : Eva Green, esta portentosa mulher .
Bertolucci foi quem a descobriu e realizou, em 2003, Os Sonhadores.


Numa madrugada qualquer vi esse filme na tv, perdido na programação de um daqueles Telecines da tv à cabo. Obra importante para a geração que viveu, melhor, assistiu a ferveção de 1968. Nele, uma linda garota, com um ar meio misterioso. Mais detalhes deste filme no texto ali embaixo.
Imagens e atriz foram devidamente registradas no departamento de encantamentos do nosso HD mental.

Logo depois foi o Ridley Scott, que a levou para o seu hollywoodiano Cruzada. Suas entradas em cena são assombrosas aparições. Senti inveja daquele cavalo branco. Mandaria seu boçal marido cruzado e o heròizinho chumbrega voltarem para a Europa e por ela defenderia sòzinho Jerusalém contra o poderoso exército de Saladino.


Semana passada o Eduardo PL, em seu caudaloso Drops Azul Anis, reproduziu em um post uma matéria do Terra e entre tantas mulheres citadas é dela a foto que ilustra o texto, nuinha em pelo, e que pelo, por razões que a matéria explica.

Hoje descobri o blog feito por Fernando Mairelles, durante as filmagens de O Jardineiro Fiel, onde achei o texto abaixo. Ela de novo. Quase foi a protagonista escolhida para o filme. E ele enfim confirma uma sensação que tive quando a vi pela primeira vez.

" ... Nesta noite dos testes, assisti a The Dreamers , do Bertolucci, ainda não lançado nem aqui. Para fazer este filme, ele descobriu uma jovem atriz francesa sem nenhuma experiência em cinema e colocou-a como protagonista. É um filme sobre um casal de irmãos e um americano que se conhecem na rua por acaso. A história se passa em 1968, durante as manifestações em Paris. Os três são cinéfilos inveterados e acabam passando uma semana trancados no apartamento dos pais ``deles, numa relação absolutamente livre, bem no clima da época. Eva Green é o nome da garota. Linda no filme, mas também misteriosa, forte, sexy, destas mulheres que têm cara de estrela, apesar de ser seu primeiro filme. No dia seguinte, antes de dar bom dia, comecei a pressionar a Leo para que a consultasse. O Cesar Charlone viu uma foto dela numa revista e no mesmo dia me sugeriu que eu deveria procurá-la. Não sou supersticioso, mas gosto deste tipo de sincronismo. Ela estava na Espanha filmando seu segundo filme, KIngdom of Heaven, uma história sobre as Cruzadas, dirigido por Ridley Scott. A produção está indo para o Marrocos e seria difícil conseguir trazê-la à Londres. Me dispus a ir até Madri para encontrá-la, mas soubemos que no final de semana ela iria para Paris. Esses contatos às vezes são complicados, pois nunca podem ser feitos diretamente. A produtora de elenco liga para um agente, que fala com o produtor do filme, que passa para o assistente de direção, que é quem fala com o elenco. A resposta tem que fazer o caminho inverso. Se ela estava indo para Paris ficava mais fácil: eu tomo o Eurostar e estou lá em duas horas. Iria fazer isto no final de semana, quando nos informaram que ela teria que passar algumas horas em Londres para experimentar uma roupa. Forçamos a barra e ela topou ler o roteiro no trem em que veio de Paris.

Não sei se de propósito, mas ela estava de costas para a porta quando entramos e não se virou até eu quase tocar seu ombro para avisá-la que estava na sala. Virou-se devagar e sorriu. Mais magra do que no filme, uma beleza menos imediata, tímida e meio tensa. Definitivamente reservada, com algo que não mostra de cara. A Leo é ótima para quebrar o gelo, saiu solando e a Eva sentiu-se mais em casa, sorriu. Admitiu estar um pouco assustada com a velocidade com que sua carreira está decolando. Em seu primeiro filme, ela aparece não apenas nua, mas muito nua. Seu segundo filme é esta megaprodução, onde ela contracena com o Orlando Bloom (O Senhor dos Anéis). Meio assustada, mas com cara de quem sabe onde está pisando, me lembrou a Marisa Monte uma vez que fui entrevistá-la. Eu era o câmera, ela ainda não havia lançado nenhum disco, mas nos recebeu com arrogância e o ar de enfado de uma diva exausta. Era quase igual, só que sem a arrogância e o enfado.

Minha primeira impressão vendo o filme do Bertolucci não me enganou: Eva parece ser uma perfeita Tessa. Ela tem algo de misterioso que só a ajuda a construir esta personagem meio ambígua e radical. Como em tantas outras vezes, voltei feliz para a produtora. Havia encontrado a Tessa pela décima segunda vez naquela semana, mas agora parecia ser definitivo."


Seu último filme foi o de James Bond. Pela foto continua carregando seus insondáveis mistérios. Que mulher.

30 comentários:

Eduardo P.L. disse...

Peri,

obrigado três vezes:

1º- Por me brindar com muitas informações dessa DEUSA, que na verdade não conhecia, até a história do Drops!
2º- Pelo texto do Mairelles que SEMPRE é uma delícia. Por que não vou lá mais vezes?
3º- Pela citação, e caudaloso elogio.


Forte abraço,

peri s.c. disse...

Eduardo
De nada três vezes.

1. Este post estava em gestação faz muuuito tempo. Quando vi o seu, pensei enfim em fazê-lo, uma semana depois acho o texto do Fernando. Impossível adiar por mais tempo. Esta deusa deve ser saboreada.
2. O blog sobre o Jardineiro Fiel é ótimo para quem gosta de saber como se faz a sétima arte ( quais são as outras seis ? )e as angústias que cercam um diretor. Uma loucura.
3. Melhor que a citação : reparei uma lacuna importante, o diluvioso Drops já está lá nos meus favoritos.

abraço

peri s.c. disse...

Eduardo
Naquela foto de seu post, por causa das luvas pretas, ela não está tal e qual a Vênus de Milo ?

anna disse...

ah... se a sra peri's ler isso quero ver se o seu passo não ficará mais rápido.

valter ferraz disse...

Peri, é tudo isso mesmo? Estou perrdendo, mermão!
Abraço grande

Marcio Gaspar disse...

também fiquei maravilhado com a evagreen, qdo vi 'os sonhadores'. bela lembrança, belo post, peri! e olha mais um blogueiro se rendendo ao pseudo-machismo da 'exaltação de musas', hehehe... na verdade, somos todos nós, homens, uns babacas babões, eternamente aos pés das mulheres... ah, se elas soubessem a extensão desse rastejamento, se soubessem o poder que verdadeiramente possuem...

peri s.c. disse...

Anna
Sra. Peri está lá pela Itálias da vida. Tenho uma semana para fazer uns 20 posts, jogando este lá prá baixo, senão ... vou ter que bater o record do 100m rasos, ou fundos.

peri s.c. disse...

Valter
Sem exagero.
abraço

peri s.c. disse...

Marcio
Pseudo-machismo ? Machismo completo !
Disfarçado por uma abordagem mais sofisticada, afinal não somos uns meros ogro-sexuais. Se bem que estes tem seu público.
Quanto ao rastejamento, você não se atiraria aos pés dela e diria para ela te pisar pedindo que te chamasse de "meu capacho"?

Marcio Gaspar disse...

haha peri, 'meu capacho' é um pouco demais... e a tessa do meirelles acabou sendo a rachel weisz, né? acho que ninguém saiu perdendo nessa troca.

anna disse...

peri's e marcio, vcs leram o ruy castro hoje? olha só: "o homem só faz o que faz - submarino, guerras, cidades... - para compensar o fato de não ter ovários."
e o austríaco vem com a máxima que nós é que temos inveja do falo...

e caro peri's, sua senhora pode acessá-lo de qq lugar. inclusive do vaticano!

Marcio disse...

o ruy está coberto de razão, anna. aliás, o texto inteiro dele hj na folha é um primor!

peri s.c. disse...

Marcio
Realmente capacho é um poco demais. Que tal " me chama de pano de chão " ?

peri s.c. disse...

Anna
1. Traduzindo, temos inveja da xoxota?

2. Mme Peri acha esse negócio de blog coisa de quem não tem o que fazer. Ela já não olha quando está por aqui, difícil olhar estando lá. A não ser que bata a saudade. Oh, céus !

peri s.c. disse...

Cáspita, não tenho acesso via uol, me mandem o texto, please.

Eduardo P.L. disse...

Peri,

é verdade, uma Venus melhorada! A falta dos braços (luvas pretas) não faz falta nenhuma.
Obrigado pelo link, o "diluviano" agradece.


Abçs

peri s.c. disse...

Eduardo

Vênus bem melhorada. Essa se mexe, fala, emite olhares. ( emite olhares, é ótimo, hem?) Quem sabe um dia, vá se entender os mistérios da vida, andando distraídamente em Paris não trombamos com ela em uma esquina ? Não deixamos cair em seu colo ( que colo! ) uma xícara de café?

Obriagado nada, merecido. Haja fôlego, sô. E melhorou com os assuntos transversos, não políticos.
abraço

anna disse...

1- ué, me diga vc do que tem inveja...

2- essa fala da sua sra faz parte do coro de vários srs e sras de blogueiros que conhecemos. por isso, dou tudo de mim quando estamos reunidos "em família". falo do quanto trabalho, da falta de tempo, dos filhos, casa prá administrar etc.
se quiser limpar sua barra é só me chamar!

peri s.c. disse...

Anna
1. Não sei bem ... mas acho que existem invejas cromossômicas dos dois lados, mesmo com a evolução das relações. O desprestígio da virgindade e o uso da pílula foram dois ritos de passagens que nossa geração vivenciou, a possibilidade de independência profissional feminina é outro, todos desaguando efetivação da liberdade das mulheres. Mas não sei no campo afetivo como isso tudo está sendo utilizado.Não sei se o homem aceita isso e se a mulher sabe lidar com isso. Provavelmente uma parte deles e delas sim, a maior parte não.
O Neil contou a história do Stephen Still com a Veronique. Um artista enchendo a mulher de porradas ? Pois é, além das idéias e das posturas tem algo lá no fundinho das células que prevalece. Complicado.

2. Até imagino que esse coro seja comum. Mas não estou com a barra suja não. É só uma questão de perfil de interesses.

GUGA ALAYON disse...

marcio o'neil, não dá pra comparar a eva com a rachel. Jamais

Peri, se Hitler tivesse conhecido a Green e não a Brown, jamais teria se suicidado.

peri s.c. disse...

Guga
Também acho , incomparáveis.Mas cada um com suas taras.

Putz, onde você buscar esta? Ótima.

E, aproveitando o gancho, se Adão tivesse conhecido esta Eva, teriam sido expulsos do Paraíso, do Purgatório e do Inferno, na sequência.

GUGA ALAYON disse...

ahahaha. Inventei como vc. ahahah

Adelino disse...

Muito bom gosto, Peri.
Grande abraço, e ótimo final de semana.

peri s.c. disse...

Obrigado adelino.
Post para compartilhar a beleza com a distinta freguesia deste modesto armazém.

peri s.c. disse...

Adelino, oops, abraço e bom fim de semana.
Perdi um dia esta semana, tinha absoluta certeza que hoje era quinta... vecchiaia bruta.

GUGA ALAYON disse...

vecchiaia bruta nada, peri, talvez solterice tardia...
abç e boa quinta

peri s.c. disse...

Provável, Guga, provável.
Talvez nos encontremos no aniversário da Franka, na segunda.
abraço e boa sexta.

Lord Broken Pottery disse...

Peri,
Cada um tem sua experiência inesquecível com ela. A minha, coisa de Lord, foi no James Bond. Ela é uma deusa, não tenho dúvidas.
Abraço

peri s.c. disse...

Lord
Não vi o Bond, mas no Cruzada, madonnamia ! Um exagero, uma visão divina.

Aliás, além da presença dEla, interessante o filme. Você acaba torcendo pelo Saladino e não pelos Cruzados.

Fernando disse...

Oi, Peri,
chapado pela beleza da moça, balbucio: porra!!!
abraços
fernando cals