#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

31.5.07

Como o Adolpho não pensou nisso antes?

New York, 11ª Avenida, em obras um edifício interessante. Você chega de carro ... no seu apartamento!

Tem dezesseis unidades, com
áreas variando de 120 a 320 m2 em diversas configurações, podendo ter 1, 2 ou 3 suites. Nada daquela promiscuidade que estamos acostumados de 5 ou 6 suites. Lá parentes do interior e cunhados não tem vez. Empregadas, babá e eventual mordomo, no fim do dia são remetidos de volta às suas periferias, quarto para eles nem pensar, não existem. Área de serviço também não tem, ali roupa suja não se lava em casa. Não vi no site e nas plantas do empreendimento qualquer menção à salas íntimas, galerias, playground, espaços gourmets, churrasqueiras, fornos de pizza, salas de ginástica, ofurôs, saunas, childreens-rooms, quadras, piscinas, gazebos e outras traquitanas. Ricos americanos são realmente esquisitos, pelo jeito não se interessam por estas coisas que são consideradas imprescindíveis por aqui em um bom edifício.

Mas nem todos os apartamentos são o paraíso : os de 1 dormitório, obviamente mais modestos, não terão sua garagem junto a sala, porisso custam apenas U$$ 4,5 Milhões. Os mais caros custam U$$ 14 Milhões.

Colunistas sociais tupiniquins vão ficar excitados com a possibilidade da notícia bombástica, qual de nossos emergentes, midiáticos e poderosos, compraria ou já comprou um deles ? Acho difícil, para que garagem no apartamento se eles preferem andar por lá naquelas cafonas limousines ? Mas nunca se sabe.

Um edifício idêntico a este dificilmente seria lançado por aqui. Não pelo preço, detalhe menor. Por duas outras razões, pelo menos .
Primeira : apartamentos de várias configurações no mesmo prédio. N
ossos experts do mercado imobiliário considerariam isso um absurdo, um mico, não venderia. Onde já se viu misturar ricos com muito ricos ? Ou solteiros baladeiros, certamente alcoólatras e viciados com famílias bem constituídas e com sólidas bases religiosas?
Segunda : deveriam ter pelo menos umas quatro vagas em cada andar, já imaginaram o chilique da madame ou dos filhos pródigos quando souberem que só o carro do papai vai subir de elevador? Aliás oito vagas, e os carros para os dias de rodízio ?


Post-post-scriptum : 03/Junho - Lá no Varal de Idéias, o Eduardo P.L. republica ( obrigado! ) este post, e o complementa com imagens de um projeto do Eduardo Longo, dentro deste tema, que podemos chamar de garagem aérea, mas sem essa visão exibicionista. Vale a pena conhecer este projeto.

27 comentários:

anna disse...

peri's, enquanto lia o texto uma lista de compradores brasileiros veio na cabeça. globais e herdeiros dandis e desocupados na maioria.
é gente que compraria 2, um para a família e o outro, menor e sem garagem no hall do elevador, para os mucamos. é gente que não desgruda de filho, feito angelina jolie. de manhã se exibe com a prole. e de noite? como sair prá ser visto? tem que ter alguma escrava, sem hora de descanso nem férias prá olhar os mimadinhos.
xi... hoje tô azeda prô lado dos ricos.
seria inveja?

peri s.c. disse...

Anna, impossível não pensar nesta lista. Não é questão de azedice. Nossos ricos que estão à vista, merecem todos os olhares críticos possíveis.

Marcio Gaspar disse...

é por coisas assim que a guerra civil, já instalada no rio, tende a se alastrar por todo o país. enquanto os ricos se encastelam em suas ofensivas gaiolas de ouro e os políticos e as empresas (com rarissimas execeções) não investem na periferia, não tem jeito: a periferia, cada vez maior, vai invadir, vai botar pra quebrar mesmo. e vai chegar uma hora (e será rápido) em que vai ser difícil dizer que eles não têm razão...

Alencastro disse...

Oi Peri: essa coisa de garagem em apartamentos já foi imaginada por aqui há muitos anos: tem um projeto, que não saiu do papel, publicado em uma revista Acrópole - deve ser década de 1960! Se eu encontrar, lhe envio.

Coisa estranha, né?

Marcio Gaspar disse...

acho isso o fim, o cúmulo do apego à materialidade. o riquinho não quer só TER as coisas, quer ficar junto o tempo todo da sua POSSE, dormir com elas, acordar com elas, trepar com elas. Eita gente doente!!

peri s.c. disse...

Marcio, concordo com seu racíocinio.

Mas ... o apego a materialidade já contaminou todo o perfil de nossa sociedade. Só a injustiça social não explica tudo. Ou esta guerrilha civil que está aí. A periferia também quer Ipod, Nike, Golf ( o carro ), tv de plasma,
notebook. Eles também querem estar mergulhados na sociedade de consumo. E provavelmente na hora que chegarem lá, se chegarem, irão repetir exatamente esse comportamento que nós abominamos.

Note no meu texto a questão das tipologias diferentes de apartamentos num mesmo prédio.Essa não me contaram, essa eu ouvi de um incorporador. Não dá para misturar 4 com 3 suites em Moema, nem 2 com 1 dormitórios na Vila Nhocunhé. Em cada caso, os apartamentos maiores não são vendidos, as pessoa não querem se misturar, seja qual for seu poder aquisitivo. É até complicado você colocar, nestes grandes empreendimentos com várias torres, prédios com apartamentos de áreas diferentes.

peri s.c. disse...

Olá Alencastro, em Chicago parece que foi feito um prédio assim, só para joalheiros preocupados com a segurança ao chegar em casa.

Se você achar o material da Acrópole , por favor me envie.

Também acho muito estranho, mas muitos donos de Ferraris sonham em levá-las para a sala. O problema é qual delas.
Humm , lembra, o Eduardo Longo colocou seu Volks-Porsche na sala, pelo menos no térreo.

GUGA ALAYON disse...

aqui com a desproporcional importancia dada aos carros, que faz o idiota ter um importado que não cabe na garagem do muquifo que vale a metade do carro, poderiam usar um edifício garagem comum e o proprietário dormiria no carro. Muito mais barato.
Achei demais nessa planta a suitezinha de empregada entrando pela cozinha.
abç

peri s.c. disse...

Guga, tem mesmo gente por aí que tem carro que vale mais que a casa em que mora.

Aquilo lá não é suite de empregada, é uma das suites do ap. E a cozinha ( de todos os ap ) não é para cozinhar ou fritar bife, só comida pré-fabricada no micro-ondas.

Eduardo P.L. disse...

Peri, muito boa esta sua postagem, sem desmerecer as outras todas, claro. Mas esta tem uma NOTICIA. Tem um texto crítico, muito bem focado, e tem uma sugestão mercadológica importante. Com um título formidavel!
Parabéns!

peri s.c. disse...

Legal, obrigado Eduardo. Aos poucos vamos lapidando o conteúdo, as imagens, os textos. Sem perder o foco inicial : isto aqui não passa de um daqueles meus vários caderninhos,que sempre carrego na bolsa prá cima e prá baixo, agora eletrônico,
onde conforme a veneta, vou anotando, desenhando, fotografando, colando: um patch-work de referências. Com discrição pessoal, mas memória dos insights da vida.

Meg disse...

Peri, jamais imaginei isso.
Pareceu a princípio coisa dos Jetsos:-)

Uau!
beijão e bom fim de semana
M.

peri s.c. disse...

Os Jetsons, bem lembrado. Eles chegavam voando na varanda do apartamento à 400m de altura.
beijo e ótimo fim de semana

jayme disse...

Peri, se a moda pega por aqui, os caras vão lançar alguma coisa parecida. Já vejo o anúncio: "6 DORMS, 4 SUITES, 8 GARS. NO AP." O estilo seria evidentemente neoclássico e o nome seria "Maison Manhattan", bem ao gosto dos nossos sábios incorporadores. Para completar, um gênio do mercado imobiliário inventaria um nome para o produto em inglês macarrônico: "Apartmobile", "Carroom", "Autoflat" ou "Suitemobile".

euduardo disse...

olá peri sc -não conhecia seu blog e o epl do varal de ideias e-meilou contando de citação nos comentarios de hoje. dá uma espiada num projeto para economias bem menores que tem os carros subindo rampas e estacionando a cada 3 pavimentos (como se empilassemos varios predios do conjunto zezinho magalhaes de guarulhos, sabe qual?)
o predio verticaliza sobre avenidas, liberando areas de jardim publico acima dos terrenos.
http://longoeu.sites.uol.com.br/vilas-altas-1.htm
parabens pelo blog, visita-lo-ei amiúde. abração, e. longo

Lord Broken Pottery disse...

Peri,
Adorei a idéia. Se tivesse dinheiro comprava um. Gostei principalmente do fato de não ter playground. Significa, provavelmente, não ter crianças brincando, fazendo barulho, silêncio total. Não cruzar com vizinhos também me agrada. Nada de área de serviço. A roupa é lavada fora, não preciso escutar a máquina, cavalo de ferro, corcoveando batendo os parafusos. A idéia que me passa é de morada isolada, quieta, o melhor que o dinheiro pode comprar.
Abração

anamoraes disse...

peri, no meu prédio não tem garagem pra todos, foi construído em outra época; uma das soluções que cogitaram num determinado momento foi a de construir andares de garagens ao lado do edifício, já que este tem um recuo em um dos lados. O elevador ficaria no centro e as garagens, para frente e para trás, assim, cada apto teria a sua, já que temos frente e fundos aqui. Eu não acreditei que falavam sério, até perceber que se tivessem o dinheiro, fariam mesmo!

Fernando disse...

Oi, Peri,
com diversas configurações, não. Mas com os autos parando nos seus pavimentos, existe um celébre, e bonito, edifício no Rio, Praia do Flamengo.Creio que anos 50!
Não lembro do nome, no momento, mas volto assim que lembrar.
abração
fernando cals

peri s.c. disse...

Jayme
Gostei do " Carroom " . E de preferência separado da sala por um magnífico pano de vidro, de cristal importado da Áustria.

Eduardo
Uma honra seu comentário, obrigado pelo elogio. Os blogs estão permitindo também um contato entre colegas que no dia a dia não teríamos, isto é ótimo.

( para quem não conhece o Eduardo Longo, autor deste comentário) é um dos arquitetos mais inquietos aqui de SP. É autor de um projeto que vocês conhecem : a "casa-bola". )

Belo projeto o seu, não conhecia. Realmente uma comparação pertinente com o Zèzinho Magalhães. A convivência habitação/carros/terrenos e por consequência, com as cidades é um dos assuntos mais complexos de nossa profissão.
Abraço e seja sempre benvido e obrigado Eduardo pela "ponte"

Lord
Adoraria fazer um projeto para as tuas expectativas. Seria muito interessante. O " Edifício Silencioso ".

Ana
Este é o nó dos edifícios mais antigos. Já fiz uma pré-análise para um caso idêntico ao seu, o pessoal ficou assustado com os custos da obra.
Se feito, o próximo passo seria fazer uma pontezinha para cada apartamento .

Fernando
Bote o HD mental para funcionar, recuperar a informação e vamos pesquisar o assunto, me interessa muito. E visite o link que o Eduardo colocou ali no comentário dele, um projeto muito interessante.
Abração

anamoraes disse...

bem legal o projeto; acho impte que existam buscas para esses problemas, mas ainda sou mais diminuirmos os carros, aumentarmos o transporte coletivo, etc; agora, se der, reserva o apto de 63 pra mim, que esse eu gostei, hehe!Abçs

peri s.c. disse...

Ana ,
num edifício com estes preços, o mínimo a se esperar são ambientes generosos, mesmo num pequeno apartamento. As plantas são interessantes, para as características do american way of life. Nós teríamos alguns problemas operacionais em relação à concepção da cozinha e área de serviço.

GUGA ALAYON disse...

Muito legal a concepção do projeto do Longo para o Vilas Altas.
abç

peri s.c. disse...

Guga, muito interessante mesmo .

Fernando Zanforlin disse...

O "di melhor" é no Japão. Como o custo de ter morada própria é alto, as pessoas criaram uma valorização dos seus carros.
Vão ao trabalho,na volta estacionam em um shopping center, usam o banheiro para seu asseio, comem bem por ali, vão ao cinema e depois voltam para seus carros e lá dormem. No dia seguinte, após o batente,shopping center de novo.
Iisso está causando um grande problema para os shopping das grandes cidades japonesas.
ab.

peri s.c. disse...

Fernando ,
Uma vantagem: você se livra do Iptu.

Vivem como os cowboys que no velho-oeste moravam em cima de seus cavalos.

rosane disse...

gostaria de saber se alguem sabe o nome dos edificios no brasil que ja tem esta caracteristca - garagem no mesmo nivel do apartamento com elevador para automovel

peri s.c. disse...

Rosane

Desconheço.