#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

22.2.11

Um giro muito giro - 23


A Igreja dos Clérigos é curiosa .
A torre fica na frente ou ...


... nos fundos ?
Tem uma planta muito interessante

Com uma nave arredondada


Almoço nesta tasca da Ribeira.
Nada como estar com quem conhece os simples mas melhores lugares .


O João neste dia estava com suas lentes buscando seres fugidios para seu novo livro.
Acabou apanhado fugidio .

Se o tema editorial continuasse nesse rumo,

poderia usar esta foto na orelha do livro.


Contradição urbana ?
A Igreja de São Francisco e a Bolsa de Mercadorias,
lado a lado


Gostei desse projeto do Museu da Ribeira . Muito bem detalhado.



Chovia a baldes e ventava para Éolo nenhum colocar defeito


Uma parte da equipe em animada e úmida conversa .
João, um vivido lobo do mar não se preocupava muito com a chuva
.

Uma viela da Ribeira



Na estação ferroviária os trens ( comboios )
dão a impressão que vão para o centro da terra


deixando para trás mais azulejos


Diversidade urbana

16 comentários:

João Menéres disse...

Mais um excelente capítulo deste seu GIRO PORTO !

Recapitulemos:

1 ) - Três recentes amigos à procura do viajante-mor...
2 ) - Muito me apraz que tenha feito posteriormente a visita ao interior da Igreja dos Clérigos, uma vez que naquele dia não se proporcionou.
3 ) - Se a Torre fica nas trazeiras ou na frente deste complexo arquitectónico será (actualmente) uma questão de ponto de vista.
4 ) - Pois, tem razão ! A Tasca de S.Nicolau é para quem sabe...
A maioria dos turistas fica-se pelos restaurantes que, alegadamente, oferecem VISTA RIO...
5 ) - A fotografia em que fui FUGIDIO é uma peça que gostaria possuir na minha colecção !!!
6 ) - Um arquitecto atento capaz de, em duas palavras, definir na perfeição essa contradição urbana.
7 ) - Está recordado, MAURO, que naquele momento não me veio à memória o nome do seu colega de profissão autor da recuperação da Casa do Infante ?
Pois bem, fica aqui com toda a justiça o seu nome :
NUNO TASSO DE SOUSA.
8 ) - Muito interessante a fotografia da Ribeira quando - servindo-me das suas palavras -
CHOVIA A BALDES E VENTAVA...
9 ) - Também gostei daqueles dois pára-águas, um azul e o outro encarnado !
10 ) - Na verdade, a Estação de S. Bento, termina (ou acaba ?) num túnel ( que vem ou vai ? ) das entranhas da terra.
11 ) - Belo registo dos azulejos de Jorge Colaço, no átrio da Estação de S. Bento.
Portugal possui, por todo o país, um museu vivo deste prolífero Artista do Azulejo.
12 ) - Mais uma vez, o profissional culto definiu esse singular ângulo do último documento desta postagem.

Fico a aguardar com a maior expectativa as cenas do próximo capítulo !

Felicito-o pelas imagens e pelas legendas que revelam a cidade e o carácter de uem a visita.
Pela minha parte, os meus agradecimetos num novo abraço.

expressodalinha disse...

E a chuva cai, cai sempre e sobretudo cai...

João Menéres disse...

AI, JORGE, OUTRA VEZ A FAZER-ME PROTESTAR ?

Hoje não chove !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


RsRsRs...

João Menéres disse...

JORGE :

E à tarde o SOL abriu completamente !!!
Registe, se faz o favor !

Silvares disse...

Esse seu giro deixa-me a pensar como os meus olhos se deixam aborrecer quando as coisas podem ser tão giras. A familiaridade distrai.
:-)

João Menéres disse...

No seu próximo capítulo sobre o Porto, já lhe conto a história do CHIADINHO.
Lembra-se ?
Hoje de manhã entrei lá e PERGUNTEI...

peri s.c. disse...

João

1. O viajante-mor estava distraído a fotografar, às costas dos ali, rescentíssimos amigos.

2. Voltamaos no dia seguinte ( quando voltamos também à Ribeira ), a Igreja então estava aberta .

3. Depende se você está indo ou vindo.

4. Adoro lugares onde turistas não vão.

5. Vou enviar todas as fotos onde você aparece, em tamanho normal de arquivo . Descobri muitas outras além das que mandei anteriormente .

6. Uma interessante contradição .

7. Vou pesquisar um pouco sobre ele, esse Museu tem detalhes de projeto refinadíssimos, pelo menos na parte externa, a que vimos.

8. Quando chove ninguém sai à rua para fotografar, portanto consegui imagens inusuais,

9. Gostei muito dessa foto !

10. Um dia , os chineses sairão por esse túnel, na grande invasão final.

11. Estes painéis são lindos.

12.Diversidade complementada pelo quiosque metálico. Rara situação .

Grato João, ainda mais vindo de um fotógrafo da mais alta qualidade, que você é.
Olhando e re-olhando estas fotos noto ( e lembro ) tantas coisas que deixei de registrar .

Meu grande abraço

peri s.c. disse...

Jorge

E quando batia o vento forte além de cair a chuva subia e subia ....

peri s.c. disse...

Silvares

Palavras certeiras : a familiaridade distrai.

A vida pode ser mais gira do que parece.

peri s.c. disse...

João

Se me lembro bem , uma loja ali nas redondezas da Lello ?

expressodalinha disse...

Registado: hoje não chove em todo o país. Aqui começou a Primavera.

João Menéres disse...

MAURO

A sua memória é fantástica !

Aí mesmo, como muito bem diz.

Li disse...

Estou adorando ver esse giro!
E os comentários idem.

Ah, quando estive no Porto (era verão) só choveu!
Rsrsrs

peri s.c. disse...

Jorge

Apressadinhos. Ainda um mês de inverno .

peri s.c. disse...

João

Humm ... minha memória está mais para vagas lembranças ....

Mas a visual funciona bem .

peri s.c. disse...

Li
Eu também ! Prá mim, um re-giro .
Algo me diz que no Porto chove sempre.