#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

22.9.09

Business



Sharbat Gula, afegã, 1984 / 2002.
Fotos de Steve McCurry, para a National Geographic .


" PANO RÁPIDO. Dado de hoje, pelos serviços de inteligência da Alemanha, França, Canadá, Grã Bretanha e EUA, revelam que os talebans controlam de 75% a 80% do território afegão.

Em junho de 2008, consumaram-se 308 atentados suicidas com emprego de dinamite. Já em junho de 2009, foram 736 atentados. Isso mostra que os talebans já estão plenamente reorganizados, depois das baixas e dos recuos a que foram obrigados em 2002 e 2003.

E os talebans, nos ataques suicidas, usam crianças. Cada criança-kamicase é vendida na faixa de US$7,0 mil a US$14,0 mil. "

do blog de Wálter Fanganiello Maierovitch, no Terra Magazine.



Cultura geral :

" O talibã (também transliterado talebã, taliban ou taleban; em farsi: طالبان, estudantes) é um movimento islamita extremista nacionalista da etnia afegane pashtu, que efetivamente governou o Afeganistão entre 1996 e 2001, apesar de seu governo ter tido o reconhecimento de apenas três países: Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita e Paquistão. Seus membros mais influentes, incluindo seu líder Mohammed Omar, eram simplesmente ulema(isto é, alunos e universitarios) em suas vilas natais. O movimento taliban derivou principalmente da etnia pashtu, porém também incluía muitos voluntários não-afeganes do mundo árabe, assim como de países da Eurásia, e do sul e sudeste da Ásia.

Nas línguas faladas no Afeganistão, o persa (farsi) e o pashtun, talibã significa "aqueles que estudam o livro" (ou seja, o Alcorão). O talibã pertence ao chamado movimento Deobandi, um movimento islâmico sunita que enfatiza a piedade e a austeridade entre os homens, e as obrigações familiares dos homens. Este movimento emergiu em áreas de etnia pashtun." fonte : Wikipedia.

24 comentários:

peri s.c. disse...

Complemento ao post :
A primeira foto da mulher afegã foi feita num campo de refugiados, no Paquistão.
A segunda, depois de um longo trabalho de pesquisa para conseguir reencontrá-la, na sua aldeia natal, para onde tinha voltado .

Eduardo P.L disse...

A primeira imagem correu o mundo, e é uma das mais famosas já publicadas.Poucos viram a segunda, que mostra o efeito do tempo, nessa região! Como a menina era maravilhosa, a senhora ainda permanece bonita! Apesar de TODOS os pesares!

infinitopositivo disse...

Peri, é linda a história do fotógrafo Steve McCurry a partir da sua odisséia em reencontrar Sharbat Gula. Ele deve ter levado um susto quando a viu pela segunda vez, pois, apesar do tempo, a imagem que tinha gravado em si era a da menina de 1984: aqueles olhos tão expressivos sobre o rosto maltratado que denunciava desconfianaça, medo, mas absolutamente carregado de beleza.

A transformação de Sharbat como mulher, sua vida hoje e a expressão fisionômica continuam denunciando o mesmo medo e a violência.

Mais do que um simples portrait de
Steve McCurry, as imagens são verdadeiros símbolos de uma região onde nos conflitos sempre está a companhia do radicalismo da crença.

Quem conhece esta história tão particular do repórter da NGM, consegue melhor entender um pouco do que fica por trás de tão significativo rosto.

O usa das crianças nos ataques suicidas é um aberração, talvez seja um dos gestos mais próximos da "bestialidade humana".

Abraço.

Ery Roberto

peri s.c. disse...

Eduardo e Ery

Para ilustrar um assunto tão sinistro como este das crianças lembrei e fui procurar estas duas fotos , lindas e tristes ( a primeira compôs talvez a capa mais famosa da National ) . Duas fotos que sem palavras inferem os estranhos caminhos praticados pelo ser humano nesse planetinha.

Fernando disse...

Oi, Peri,
independente de qualquer outra coisa, incrível a beleza da menina...que olhos!
Lembro-me que o Bruno, uns 15 anos atrás, ainda modelo, fez algumas fotos de crianças locais e eram todas lindas...e que olhos!
Mas, a desgraça a que são submetidas faz com que morram, destino cruel, ainda jovens mas feias. Vida dura, enquanto dura!
abs
fernando cals

peri s.c. disse...

Olá, Fernando

Pois é , belezas que pouco a pouco vão sendo marcadas pelas cruezas da vida. Nem nós escapamos disso.

abraço

anna disse...

fora toda a barbárie, eles ainda estupram mulheres!
e ainda querem aprovar a tal da lei do estupro autorizado no casamento.
mulher tem que "dá"mesmo que não queira prô féladaputa do marido.

isso me deixa possessa.
e ainda os caras dizem que são muçulmanos. os próprios dizem que nada disso está escrito no alcorão.

como é possível uma maldade tão terrível quanto essa?

e nem parece a mesma mulher.

Marcio Gaspar disse...

cada vez se torna mais verdade: não há limites para a maldade humana; e nem para a ignorância (in)justificada pela religião...

Lina Faria disse...

Peri,
Na época que foi publicada essa segunda foto que Steve McCurry fez de Sharbat, participei de um debate sobre portrait.
Um portrait nunca é simples. Vai sempre mostrar a condição da pessoa naquele momento. O inusitado desse, é a situação que rodeia a moça e o fato de ela ainda estar viva. Seus olhos transmitem, na primeira foto, o horror, o mêdo. Na segunda, o horror ainda estampa seu rosto, mas há no contexto um que de resignação.
Os horrores que fazem em nome de uma causa são bestiais!

peri s.c. disse...

Anna
Até os textos religiosos são interpretados conforme os interesses da época.

peri s.c. disse...

Marcio
Esses limites e essa ignorância se ampliaram .
Desavenças entre a Gaviões e a Mancha às vezes parecem coisas de crianças.

Selena Sartorelo disse...

Olá Peri,

Horrores covardes e injustificavéis, crimes de não confessos.
Barbaridades que se tornaram comum em nossos notíciarios. Inflizmente a desumanidade está tomando conta dessa espécie.

Beijos e excelente sua postagem.

peri s.c. disse...

Lina
Acho os portraits um grande desafio .

Neste caso note na segunda foto a mudança de conformação das sobrancelhas, levemente arqueadas para baixo e pesadas, agora .

Lembro de Coração nas Trevas, do Joseph Conrad* : " ... o horror, o horror ..."


* ( para os desavisados, devem ser poucos aqui, o livro que deu origem a Apocalipse Now )

peri s.c. disse...

Oi Selena

A intolerância e falta de limites alastram-se .

Se você não lê o Estadão, procure no seu site , o caderno Aliás, do último domingo e leia o ótimo artigo do Gilles Lapouge, sobre a onda que se espalha na "civilizada" Europa contra os imigrantes .


E que já podemos sentir na pele como desavisados e inocentes turistas. Em breves todos seremos tratados como suspeitos quando descermos dos aviões.

bjs , obrigado

expressodalinha disse...

Mais um Vietname. OS USA cada vez que se metem nestas aventuras fazem asneira. Provavelmente já tinha acabado ou tinham-se morto uns aos outros. É pena que um "livro" sirva para isto.

Anônimo disse...

Peri:

E o tráfico latino de órgãos atinge,preços e crianças em números muitíssimos maiores...

Pára o mundo que eu quero descer!

Abraços ecatômbicos.

Günther.

Lina Faria disse...

Obrigada, Günther. Conseguiu me tirar o sono. hehehe

peri s.c. disse...

Jorge
Alguns livros guiam os passos da humanidade.

peri s.c. disse...

Günther

Assunto que não interessa ( a quem ? ) ser veiculado .
Vamos descer juntos .

peri s.c. disse...

Lina
O meu também.

Anônimo disse...

Peri e Lina:

Bom conquanto alguns de nós percamos o sôno nesta crescente época da banalização da morte.São tempos também crescentes de inversão dos valores reais de vida e existência.
A maioria ouve e vê notícias dêsse
pêso e apenas regurgitam:"Coitados!",palavra originária de "coito"...Bem...que durmam o sôno dos injustos.

Abraços insones

Günther.

Quase Blog da Li disse...

Peri,
sua postagem fala de banalização, de conceitos e preconceitos,
de valores,
diferenças,
ódio, intransigência.
O retrato do nosso mundo atual.
A imagem que vc ilustrou foi 'tacada de mestre' pelo significado histórico: a passagem do tempo entre as duas fotos...
E elas falam pelo olhar;
a 1ª de curiosidade, indagação e espanto
a 2ª resignação, entendimento e rancor.
Em ambas as fotos a personagem tem coragem no olhar; não perdeu a sua força. É o retrato desse povo.
Eu, com minha cabeça ocidental, não compreendo. É muita etnía, muitos costumes, muito tempo de história...
Um 'caldeirão' político cultural religioso rico,
diverso, complexo no qual os inglêses, russos, americanos
meteram a colher.
E deu nessa merda.
Agora assistimos a esse circo de horrores.
Patrocinado por quem?
Pra que?
...

peri s.c. disse...

Li

Todas os caminhos desembocam na mesma praça onde se abraçam os detentores dos poderes econômicos e políticos.
Como já escreveu o Millor : o poder corrompe e o poder absoluto corrompe muito melhor .

peri s.c. disse...

Günther

A "maioria" é uma coisa sinistra, gosto de minorias.

abraços seletivos