#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

29.11.08

Arquitetura e design para pequenos espaços - 7


Encerrando a série, depois de mergulhar nas profundezas físico-psicológicas do capsule-hotel, voltamos à luz.
O que deu origem à essa sequência foi exatamente a encantadora casa a seguir.

As pequenas dimensões continuam, ainda no Japão, na cidade de Kobe. Os terrenos e as construções lá são muito caros, para eles pouco é muito. A cultura nipônica média creio que é voltada para a miniaturização e a eficiência, não devem ter uma SUV para estacionar na garagem ( essa nem garagem tem ), nem um refrigerador e um freezer de 500l cada , máquinas enormes para cozinhar e lavar e outras traquitanas domésticas, além de dificilmente prepararem um churrasco ou uma feijoada com pagode e vários engradados de cervejas, para 25 pessoas.

Este é um ótimo exemplo do que um pequeno-"grande" projeto é capaz de realizar em situações limite. Uma casa que qualquer arquiteto gostaria de ter desenhado.

Num terreninho onde cabe com certa folga uma pick-up :
Hiroiti Ohtane projetou sua própria casa, que tem 76 m2 de área construída neste terreno de quase 36 m2. E foi muito criativo na configuração, na definição da inter-relação dos espaços, assim como na delicada concepção do processo construtivo .



The Layer House







Sua construção é um verdadeiro jogo de armar, feito de pequenas e esbeltas placas de concreto pré-moldado, que vão sendo empilhadas espaçadamente, criando uma alternância de "cheios e vazios", que enriquece o espaço interno e a fachada . Também cria flexibilidade total para fixação variada do mobiliário projetado e dos degraus das escadas. Tem 3 pavimentos, com uma engenhosa solução de escadas, apesar do terreno extremamente estreito. A escada dupla permite a passagem pelo patamares comuns, encurtando o percurso entre os ambientes.

nas plantas dos três pavimentos, a curiosidade : a casa só tem uma porta, a de entrada. ( o banheiro deve ter um potente sistema de exaustão ... )


o sistema construtivo, o pé-direito alto no último pavimento e a solução de iluminação zenital criam um espaço de enorme riqueza, como que ampliando as diminutas dimensões do terreno.


estar


vista aérea da cozinha / vazio escadas mostrando a controlada transparência para a rua


escritório







37 comentários:

Eduardo P.L disse...

LINDA CASA. LINDAS SOLUÇÕES. O único problema é que não se pode exagerar nas doses de SAQUÊ, pois essas escadas são um perigo constante e permanente! Sonâmbulos nem pensar!!!

Boa semana.

peri s.c. disse...

Eduardo
Mas eles são bebuns-ninja ou sonâmbulos-ninja, jamais se desequilibram e ainda dão umas piruetas noa ar. Isso quando não somem misteriosamente numa nuvem de fumaça, ressurgindo sorridentes no andar de baixo.

Marcio Gaspar disse...

além do problema da escada, o excesso de linhas retas nas paredes me dá enjoo, mesmo de 'cara limpa'...

expressodalinha disse...

Como transformar a claustrofobia numa habitação!

peri s.c. disse...

Marcio

Arquiteto sofre :
Impossível contentar gregos e troianos, além dos micênicos, espartanos, fenícios,macedônicos,mesopotâmicos, sumérios,caldeus,capadócios, persas, assírios,mongóis, etc, etc, etc.

Arquiteto reinventa :
Mas podemos bolar uns pré-moldados encurvados, criando um " ritmo" diferente na solução.
A escada,acho que foi uma encanação de sua parte, são pequenos e confortáveis lances, numa puta solução bem pensada.

peri s.c. disse...

Jorge
Você tocou exatamente no ponto principal desse projeto.
Num terreno que cabe uma boa banca de jornais e revistas , um espaço criativo e habitável.
Detalhe : aí moram ele e sua filha pequena, que aparece nas fotos.

googala disse...

Peri, gostei, mas é casa para solteiro. Esse papo que mora com a filha é lorota ou é só até ele arrumar uma namorada. A filha mora com a mãe com certeza. Acho uma falha ter só um quarto.
abração

peri s.c. disse...

Googala
A ressalva sempre é o programa, que claro estranhamos. Mas eles são nipônicos.
Dois quartos para eles talvez seja um exagero. Suíte, nem pensar.
Valeria a pena pesquisar como funcionam exatamente as coisas por lá, no quesito habitação.

Tivemos uma estagiária, quando eu trabalhava com o Loeb, que conseguiu um estágio de seis meses no escritório do Tadao Ando.
O apartamento que conseguiram para ela, lá, tinha 12m2... com banheiro e cozinha. disseram que era um bom apartamento para uma solteira. E não chamavam de quitinete.

Anônimo disse...

Peri:
Japonês com uma só filha?Propaganda enganosa.
A prole sempre é farta.Acho que é porque êle come com dois pauzinhos.

Günther.

peri s.c. disse...

Günther

Jovem, ele está em começo de carreira.

E esta piada Noé contou para o papagaio na Arca, enquanto esperavam a água baixar, pior, subir.

googalask_you disse...

mas onde a filha dorme nesse programa? ahahaha

googalask_you disse...

mas onde a filha dorme nesse programa? ahahaha

peri s.c. disse...

Googalask
Sei lá meu, que tal no sofá do estar ?

Anônimo disse...

Japoneses são práticos.A filha dorme nessa banheira,que com certeza tem temperatura regulável e que é aproveitada também para criação de peixes-crus.Uma banheira despensa.

Abraços
Gômadêmascá.

Günther.

anna disse...

depois dessa, saquei que foi um japinha paraguaio quem "projetou" meu apê.
só pode..

valter ferraz disse...

Peri,
sei não. Achei meio grande. Desperdício. Dava prá fazer menor.
Abraço

ps:29 de dezembro o Perplexo estará em Sampa. Será que rola um chopps e dois pastel?
No mesmo bat-bar na mesma batvila, madalena!

peri s.c. disse...

Günther
Sei não. Talvez a filha seja uma mini-boneca-inflável-robótica para dar a impressão que cabe mais gente na casa.

peri s.c. disse...

Anna
Japinhas-paraguaios, que normalmente são na verdade coreanos-paraguaios, são tipos perigosos quando se põe a projetar.

peri s.c. disse...

Valter
Tem uns excessos aí, concordo.

Dia 29 o Armazém deverá estar, para as tradicionais comemorações familiares, à mais de 1000 km de distância desta nossa trepidante Metrópole,próximo da boca do Pantanal Sul-Matogrossense. Ou quem sabe no próprio. Comendo uns "arroz-carreteiro"s com mandioca cozida, uns sobás no mercado de Campo Grande, uns churrasquinhos ( eles sabem criar bois, mas nós é que sabemos churrasquear ), umas sopas-paraguaias, uns peixinhos, uns caldinhos de piranha ( daquelas que nadam )e outros pratos típicos da região.

googala disse...

Oba!
Delícia hein, Peri?

peri s.c. disse...

Googala
Pelo menos trocamos de ares por uns dias. Difícil se afundar sem rumo pelo Pantanal, o que seria desejável. Já são 8 anos sem FÉRIAS.

valter ferraz disse...

Peri,
prá Anna: japonezinho-paraguaio é boliviano. No Bom Retiro tá cheio deles. Moram em quartos metade menor que essa casa nipônica.//

Para voce agora: vai trocar a linguiça de Formiga pelo churrasco? Tem espaço na van?

peri s.c. disse...

Valter
A van já está lotada. E com bagageiro.

Anônimo disse...

Peri:
E com bagaceira no bagageiro?...!

Günther.

peri s.c. disse...

Günther
o bagaço humano na direção.

Anônimo disse...

Maldita lei sêca!
Mas chegando lá tome muitas por mim.Caia de bôca na fonte da juventude.Saúde!


Günther.

peri s.c. disse...

Günther
A segunda ( e vetusta, porém eficiente ) geladeira da sogrinha estará reservada para o quase congelamento ( naquela terra onde mora o calor ) das ampolas. Existem lá de plantão uns profissionais do ramo etílico, páreos difíceis de acompanhar, mas faremos o possível. Erguerei vários brindes aos amigos, muito antes e continuamente depois da nossa tradicional queima de fogos de reveillon ( vide post do começo de janeiro deste ano )

Anônimo disse...

Peri:
Fiz a visita no poste de ano nôvo!
Vou consultar o Valter para pegarmos uma carona à la De Niro em "Cabo do Mêdo".

Günther.

peri s.c. disse...

Günther
Fui ler a sinopse do filme, sem chance, assim como os idiotas sempre estão nas outras mesas do boteco, psicopatas que peguem carona em outra van , de preferência no sentido contrário.

Anônimo disse...

Tá bom.Não vou mais.Era só uma idéia.
Günther.

valter ferraz disse...

Peri,
tem lan house lá no Pantanal?
Se tiver, manda uns posts de lá. Sei de um lugar lá que eles "alugam" uns peixes bem avantajados pros paulistas tirarem fotos.

Anônimo disse...

Xi...Valter...
Depois de várias ampolas de cerva,é capaz do Peri matar a cobra e postar o pau.

Günther.

peri s.c. disse...

Valter
Hoje pantaneiro campeia o gado ouvindo guarânias e vanerões com um MP3 na orelha.
fim de ano não é temporada de pesca, até os peixes de aluguel viajam.

peri s.c. disse...

Sünther
Desde que não seja sucuri

Anônimo disse...

Peri:
Sucuri é anaconda.Se precisar chame o pai da labiúda.
Abraços
Günther.

peri s.c. disse...

Günther
( e não " Sünther" como no comentário acima )

Anaconda para os green-go(s). Pantaneiro só não gosta (tem medo mesmo) de duas coisas : onça e sucuri. Fonte : pesquisa feita com velhos senhores, hoje urbanos, mas que cruzaram no lombo de cavalo as dimensões pantaneiras. O avô de Mme P.S.C., em tempos pré-eco-politicamente-corretos, matou muuuitas onças, com zagaia e passava ao largo das distendidas serpentes. Lei da "selva": para proteger o gadinho que começavam a criar e que hoje é o maior rebanho do BR.

Já percebi que você não rejeita o trash televisivo. A cena do projenitor da labiuda saindo gosmento de dentro da anaconda ( era assim a cena ? ou sendo engolido?) é de se torcer de rir.

peri s.c. disse...

oops : " progenitor "