#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

2.10.08

Um terceiro lado da questão

Como o assunto vai nos afetar por muito tempo, e toda questão tem inúmeras visões vamos continuar no tema do post anterior, com uma abordagem mais animadora apresentada no blog do Neil Son, o Quase Pouco de Quase Tudo ( um de nossos favoritos desde sempre ) de onde descaradamente copiamos, quase todo o post, após autorização por escrito do autor e devidamente registrada em cartório ( sabe-se lá se a autorização não era uma armadilha do polêmico Sr. Neil, que sob outro nome vive criando ótimas confusões em certas caixas de comentários, principalmente na nossa, eh, eh ).
Vejam lá na íntegra. O texto é uma provável adaptação da jornalista Malu Fernandes, a versão original já andou circulando via e-mails.

O material abaixo é até agora a mais interessante visão alternativa sobre a atual crise financeira que abala os mercados do Sistema Solar. Esses especuladores são tão espertos que deve existir dinheiro em órbita, ou escondido na face oculta da Lua, em algum paraíso fiscal de Marte ou Netuno ( já imaginaram a rapidez de um caixa bancário marciano contando dinheiro com suas oito mãos ? ) e talvez até em fundos hedge rotatórios no anel de asteróides .





" Se você tivesse comprado, em janeiro de 2005, R$ 1.000,00 em ações da Nortel Networks ou da AIG, ambas gigantes da economia americana, teria hoje R$ 59,00. Se optasse por utilizar a mesma verba em compra de ações da Lucent Tehnologies – na época, uma potência das telecomunicações -, teria hoje R$ 79,00!
Mas se em janeiro de 2005 você tivesse usado os mesmos R$ 1.000,00 para comprar latas de cerveja, tivesse bebido tudo e guardado as latinhas pra vender hoje, teria R$ 80,00!

Conclusão:
No cenário econômico atual, você perde menos dinheiro se ficar sentado e bebendo cerveja o dia inteiro...
Mas é importante lembrar que, quem bebe mais vive menos.
Menos triste
Menos deprimido
Menos tenso
Menos puto da vida

Pense nisso... e... se for dirigir, não beba.
E se for beber, me chama.
Se não me chamar, pelo menos me manda as latinhas!"


Nota da redação para nossos leitores d'álem mar :
o Brasil é o campeão olímpico e mundial absoluto de reciclagem de latinhas de cerveja e refrigerantes. São recolhidas pelas pelas camadas mais pobres da população
e vendidas para as empresas processadoras.

41 comentários:

anna disse...

e peri's, e ampliando a questão do brasil ser campeão etílico de latinhas recicladas, o fato possibilitou a muita gente passar da linha da pobreza paupérrima, para a pobreza.
foda isso, parece ironia, mas uma melhora, mesmo que mínima aconteceu.

peri s.c. disse...

Anna
Me emociona quando vejo aqueles catadores de latinhas. E quando vejo o Fábio ( curioso nome de um catador de papéis, garrafas e metais ) que com seu chapéu de couro nordestino de abas viradas, faz "ponto" em frente ao escritório, 3 vezes por semana, em horário britânico chova ou faça sol. E me cumprimenta , pelo nome, sempre alegre a animado, desejando um bom dia de trabalho.

Eles estão atentos às brechas possíveis que o sistema lhes permite, na silenciosa luta pela sobrevivência.
O lado maravilhoso de nosso povo.

expressodalinha disse...

O Brasil é campeão do mundo em muitas coisas. Desta não sabia. O post está óptimo. 20 valores!

valter ferraz disse...

Peri,
aqui à beira-mar é tétrico ver a luta ferrenha que uma sacola com latinhas vazias proporciona. O pior: hoje os catadores disputam as valorizadíssimas latinhas com os veranistas. Vêm à praia, bebem todas e levam as respectivas para vender quando chegarem à Sampa. Garantirão a gasolina do resto do mês, eu suponho.
Licença agora, vou catar algumas que a coisa aqui anda russa (ou melhor dizendo, americana!)

João Menéres disse...

Nunca tinha visto um pedinte sorridente e, do jeito que esse aí está sorrindo, ah!garanto que deste "lado", não existe mesmo!!!
Peri, post fabuloso e conclusões ainda mais!!!
Meus parabéns.

roserouge disse...

Em Agosto de 2000, estava eu no Calçadão do Rio de Janeiro com umas pessoas amigas a beber uma caipirinha e a comer uma brocheta (vocês sabem o que é, aquelas espetadas de camarão pequenino que eles vendem na rua...) quando vi passar uma senhora negra dos seus 70 anos com um aspecto bastante limpo e asseado e com um saco de plástico daqueles do lixo cheio de qualquer coisa. Fui falar com ela, disse-me que se chamava Rosa e perguntei-lhe o que ela andava a fazer por ali. Resposta dela: "Tou pegando latinha". Percebi. Andava a recolher as latas que as pessoas deixavam na praia para depois vender para reciclagem. Tirei uma foto com ela e notei que cheirava bem, a lavado. Ainda tenho essa foto e por qualquer razão aquela cena comoveu-me. Seria da caipirinha?

peri s.c. disse...

Jorge,
Graças ao Neil, só dei um "colorido" à história. Aí fica fácil.

peri s.c. disse...

Valter
Terão que beber muito para garantir a gasolina do mês. Um quilo de alumínio = 74 latinhas, valem coisa de R$3,00.

peri s.c. disse...

Obrigado, João,
vou transferir parte dos parabéns para o Neil.

peri s.c. disse...

Roserouge
"Brocheta' é ótimo !
Chamamos esses "Jesus me chama" de "espetinho". Sobreviveu?

Não acho que tenha sido a caipirinha, não. Vide a resposta que dei à Anna.
Se bem que uma boa caipirinha sempre ajuda para que tenhamos um olhar mais desarmado.


Duas ou três, então ... corres o risco, dependendo de sua capacidade etílica, de passar a chamar " urubu de meu louro "

roserouge disse...

Ahahahahaha!!! Urubu, meu louro, essa é linda! Sobrevivi, sim. Foram umas férias fantásticas, acordava a rir, deitava-me a rir! Muito bom! Seria da caipirinha?

peri s.c. disse...

Roserouge
que bom que você se divertiu! claro que todas aquelas caipirinhas ajudaram.
só esteve no Rio ?

valter ferraz disse...

Peri, R$3,70/kg ao câmbio de hoje. Vendí as minhas e comprei um kg de contra-filé. Já ajuda, né?
Talvez seja essa a melhora de vida que o pessoal do planalto chama de maior crescimento, melhora de nível de vida, essas coisas que eles enchem o peito para proclamar.
Mas, fico por aqui. Não serei eu a tumultuar o espaço democrático do amigo.
Abraço forte

roserouge disse...

Peri: a viagem foi: Lisboa/Nova York/Rio. Cheguei lá, larguei as malas no apartamento e fomos direitinhas (eu e as 4 amigas) para Paraty, de autocarro, onde ficámos 2 dias. De volta para o Rio, apanhámos um avião para Salvador/Ilhéus e depois Itacaré, onde ficámos uns 4 dias. Outro avião, Ilhéus/Belo Horizonte/S.Paulo/Rio. Mais uns dias no Rio e volta pra casa via Nova York. No meio disto tudo, muita muqueca de peixe, muito bóbó de camarão, muita peixada, muita comidinha mineira (levezinha, portanto) muita Brahma e muita caipirinha. Um horror! Em Nova York, vomitei em frente ao Guggenheim, uma vergonha! Cheguei doente com o fígado feito em merda. Olha, que se foda, só se perdem as que caiem no chão.

peri s.c. disse...

Valter
Estou desatualizado no preço das latinhas.
Mas que ajuda, ajuda.
Pronto, lá vem você de novo falar mal do governo . A aprovação já está em 80%, eh, eh.

peri s.c. disse...

Roerouge
Ah, ah, ah, imagino o horror que foram essas férias por aqui, em 5 mulheres, fazendo o roteiro da " agitação". Devem ter " bagunçado o coreto".
E que grand-finale vomitando em frente ao Guggenheim, Frank Lloyd Wright deve ter se revirado na cova pensando que passaste mal ao ver o prédio projetado por ele.

Eduardo P L disse...

Peri,

pelo que estou entendendo esse Armazém esta se associando ao Neil, para enfrentar os dias de crise que se avizinham...

rsrsrs!

Abçs- Boa postagem!

peri s.c. disse...

Eduardo
Unidos ....
não naufragaremos.

Ery Roberto Corrêa disse...

Peri, você está ficando um tanto "leminski" em suas respostas. "Unidos não naufragaremos" é ótimo. Isto, se todos remarem no mesmo ritmo. E é bom que todos saibam "nadar".
Abraços.

Silvares disse...

Olha aí está uma boa forma de investir o nosso capital. Vou fechar o computador por um bocado e beber uma "imperiais" fresquinhas (imperial= chôpe, é assim que se chama no Brasil?) enquanto leio um jornal desportivo e notícias sobre jogos de futebol e outras coisas interessantes e discuto esses assuntos fundamentais com o Sr. Manel que é o dono da tasca e é mais surdo que uma porta de armazém e é meu amigo (torcemos pelo mesmo clube!). Vou investir uns euros em cerveja mas esta não tem latinha. Essas vão directas para o ecoponto. Vou'mbora!

googala disse...

Unidos não naufragaremos é ótimo mesmo, só resta saber quem vai usar quem de bóia.

googala disse...

Me lembrou aquela história real sobre náufragos.
Foi com acidente de helicóptero em alto-mar que quatro pessoas sofreram, uma delas o tri-atleta herdeiro do Pão-de-Açucar.
Ele , como bom nadador, conseguiu chegar na praia depois de sei-lá quantas horas e esbaforido correu por ajuda até um sr. que o observava. O que ele perguntou?
-"Onde estão as bicicletas, caralho?"

(sorry, João Paulo. Não fui eu que inventei, abç)

peri s.c. disse...

Ery
O Leminsky é o "meu" poeta
e o poeta de meu tempo.
Somos, como ele escreveu, uns "kamiquases".

abraços

( profunda prá caralho essa palavra criada por ele, o 'kamiquase".

peri s.c. disse...

Goooooogala
Nestas horas a única cotação que sobe é a da indústria de bóias, que além disso terão ágio no comércio varejista. Poucos se salvarão.

peri s.c. disse...

Googala
não conhecia essa versão.

peri s.c. disse...

Silvares
Inaugure aí em Portugal a reciclagem de latinhas e passe a viver sem preocupações.

valter ferraz disse...

Peri,
o pao aqui até rendeu um postzinho por lá.
Googala, é ótimo, né?
Boa eleição por aí
Abraço forte

valter ferraz disse...

Peri,
corrija por favor: papo!

azia disse...

"o latinhas" era o cara que, a partir da tarde, volteava pela lagoa da conceição (florianópolis) recolhendo os destroços da humana sede. ainda lhe entreguei umas sacolas cheios. mas para além de latas, infelizmente quase não vejo reciclagem por aqui.

abraço!

(aqui não são caixas de comentários, mas autênticos fóruns. uma delícia!)

peri s.c. disse...

Valter
A inspiração vem das mais diversas prateleiras.
O "Googala" foi uma grande invenção.

peri s.c. disse...

Sr. Azia
A reciclagem é forte nas latinhas, pelo seu valor em R$.
Os demais recicláveis, ou tem valor muito baixo ou nenhum, portanto dependem de uma consciência a ser desenvolvida.

Esse forum paralelo aqui é ótimo. Alguns dos posts são pensados exatamente para provocar uns e outros e assim acender a fogueira.

Já descobriu o poeta/escritor/judoca/kami"quase' Paulo Leminski citado ai em cima ?

abraço

azia disse...

Peri,

é um dos meus favoritos.

João Menéres disse...

Peri,

Uma delícia, um entusiasmo, esta múltipla conversa!
Estive gozando para caramba...
Estive também imaginando a gozação da Roserouge e suas 4 amigas.
Fígado estragadão? Ora, já passou !!!
Estou desolado é dela estar ausente destes comentários já lá vão 5 diinhos (dias) inteirinhos.
Volta, Bé! Estás perdoada!

peri s.c. disse...

Azia
Leminski é uma maravilha.
Noto semelhanças em teus textos cortantes e concisos trabalhos com os dele.
Aprecio isso, acho que foi o que me chamou a atenção em teus textos

peri s.c. disse...

João
Essa conversa é a melhor parte das blogagens.

anamoraes disse...

Peri,
os dados são de 92% (ou 94% ?) em reciclagem de latinhas de alumínio, no Brasil. Bj.

peri s.c. disse...

Ana
92 ou 94%, é latinha prá dedéu
bj

anamoraes disse...

pois é - recordista mundial, como vc diz.

peri s.c. disse...

Ana
E olímpico. Medalhas acumuladas de puro, prata e bronze.

azia disse...

o grande leminski.

agora que vou mudar para uma casa com uma sacadazinha, vou começar a juntar umas latinhas. é o primeiro passo para ir passar uma noite ao hotel aí de cima com a menina. torno público aqui nesta tão deliciosa caixa de comentários: caso a 31 de outubro.

abraço!

peri s.c. disse...

Azia
essa vou responder por e-mail.
abraço