#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

8.10.08

Mudando de ganso para pato laqueado, vamos à China


Enquanto que aqui na Terra Brasilis com seus modestos 500 anos de história, os empreendedores e seus clientes olham para trás e acham "chiques" e lindos aqueles edifícios que são pseudo cópias de uma salada de estilos neo-antigos-qualquer-coisa, e com aqueles nomes pretensamente elegantes, " piazza la quadratta ", "villa de las sílfides "etc, os chineses com seus 5.000 anos de história olham para a frente, projetam seu futuro e investem na modernidade.

Essa belezinha vai ser construída em Shanghai, para a Feira Mundial de 2010, e já é considerado como seu grande símbolo.
Não é um daqueles edifícios gigantões em altura que estão pipocando lá pela Ásia ou Oriente Médio, mas é uma construção muito grande

Hotel, com 1.000 quartos, centro de conferências, áreas de lazer e eventos. As torres tem 50.000 m2, as áreas anexas 500.000m2 !





Construído às margens do rio, eleva-se elegantemente das águas. Seu desenho foi baseado no ideograma chinês " ren" que significa "gente", daí seu nome : Ren-People Building. Projeto de um escritório dinarmaquês, Bjark Ingels Group .


Bonita e elegante a implantação, a solução volumétrica e estrutural
( assim como manequins e modelos, que querem ser muito mais que um rostinho bonito, eh, eh, edifícios devem ter muito mais que uma fachada bonita).

No vídeo abaixo, muito bem feito, apesar das imagens em baixa definição, a explicação do conceitos que definem o edifício e um percurso aéreo onde é mostrada em detalhes a solução e suas transparências.








Um belo projeto.




33 comentários:

Fernando Zanforlin disse...

Peri, muito bacana, é um belo projeto, simples demais e com uma capacidade de marcação bem forte.
Como é bom ver coisas boas e bem resolvidas na arquitetura ( em tudo).
Ƨs

Marcio Gaspar disse...

lindo projeto, é verdade. mas tenho minhas dúvidas qto às bolinhas.

peri s.c. disse...

Fernando
Simples, elegante, implantação amigável com o rio e o entorno, e ainda criativo.
O que mais precisa um projeto ?

peri s.c. disse...

Marcio

Quem sabe não exista investimento suiço no empreendimento, então talvez os arquitetos tenham resolvido homenagear os grandes banqueiros helvéticos via uma referência ao queijo mais famoso daquele país ? ah, ah.

As bolinhas são uma linda (e complexa) solução estrutural. Imagine o edifício todinho calculado em concreto. Um caixote fechado. Aí retira-se, tendo por base círculos de diâmetros variáveis , todo o concreto desnecessário.
A busca de uma plasticidade mais fluida ( coisa que o nosso tiozão Oscar Niemeyer tem praticado nos últimos 80 anos ) quebrando a rigidez quadrática das soluções estruturais tradicionais que mantém os edifícios em pé, tem orientado uma série de projetos importantes atualmente. Apesar do volume quadradão, o Cubo d'Água de Pequim ( que eu chamaria de cubo de sonrisal ), tem uma estrutura externa parecida com essa.
Aliás, note que interessante : puxe pela sua memória, nossa antiga Estação Rodoviária, no bairro de Sta. Efigênia, usa esse mesmo conceito nos fechamentos laterais da cobertura metálica.

Marcio Gaspar disse...

xi peri, mas aquela rodoviária era conhecida como o 'inferno das pastilhas'- assim como o prédio da folha na barão de limeira.

peri s.c. disse...

Marcio
Pois é, o Caldeira gostava mesmo de umas pastilhas. É curioso como ele aprovou a construção daquela cobertura.
O edifício da velha Rodoviária vai ser reformado para se transformar na nova Escola de Dança do Estado, compondo um polo cultural junto com a Sala S.Paulo, pinacoteca 1 e 2 e Museu da Língua Portuguesa,
numa ação conjunta das atuais administrações estudal/municipal para recuperar o Centro.
humm, preciso lembrar o Jayme disso ...

GOOGALA disse...

O 47° ANDAR FICOU SEM JANELA. pÉSSIMO

GOOGALA disse...

O 47° ANDAR FICOU SEM JANELA. pÉSSIMO

peri s.c. disse...

Gooooooogala

Deve ser onde fica o VeryHotSex-Club XXX, nada de janelas e paisagens para distrair a clientela.

Patty Diphusa disse...

Que passo largo está dando a ren, não? Deve ficar legal.Os dinamarqueses devem ter adorado ter tanto espaço assim para construir.

E isso é bem longe daquele bairro de réplicas que eles estão fazendo?

Valeu a dica, Peri.

Bjs

roserouge disse...

Como é que depois no resto do mundo não há-de haver crise do petróleo, com os preços a inflacionar de dia para dia? É que os chineses não produzem uma gota do dito cujo carcará e absorvem tudo. E a coisa não parece que vá parar.Vão ver que afinal o Grande Timoneiro tinha razão com a história do Grande Salto em Frente. Volta Mao, estás perdoado!

Eduardo P L disse...

Bonito e inteligente pela simplicidade. Apesar dos ideogramas e simbolos...não precisava...explicar!

Parabéns aos Dinamaqueses que projetaram, e ao post que nos mostrou em primeira mão. Muito se ira falar desse edicífil.!

anna disse...

bonito de ver. os chinas são muito geniais mesmo.

só imagino como fica uma pessoa dentro de um andar onde as paredes se curvam abaixo dos pés, das janelas ve-se como se estivesse despencando.

sonia disse...

A beleza está na harmonia, na simplicidade e por que não dizer na inovação juntando tudo isso? Achei um tipo de "ovo de Colombo" moderno! Maravilhoso!!!!

jayme disse...

Peri, é um projeto impressionante mesmo. Traços delicados, tornando volumes gigantescos leves e orgânicos. Mal comparando, a FAU, vista do alto, dá essa sensação de leveza. Acho isso é o que diferencia os bons arquitetos dos simples arquitetos comuns.

peri s.c. disse...

Patty
Esses projetos são o sonho dourado de qualquer arquiteto, desde que tenham a capacidade de encarar o desafio. Poucos tem.

Não sabia desse bairro de réplicas.
bjs

peri s.c. disse...

Roserouge
Acabei de ler um livro, de uma jornalista brasileira que viveu lá dois anos. Se o Grande Timoneiro estivesse vivo ainda estariam parados no tempo. Quem deu a virada foi o Deng Shiaoping, depois de pulverizar a Camarilha dos Quatro.
Voltarei ao assunto no próximo post.

peri s.c. disse...

Eduardo
As explicações foram um reforço emocional para convencer os chineses, creio.

peri s.c. disse...

Anna
Uma vertigem em segurança.

peri s.c. disse...

sonia
a junção de tudo isso que você citou, pelas mãos e traços de bons e vividos profissionais.

peri s.c. disse...

Jayme
Exatamente. Uma beleza conseguir leveza com concreto. Uma das sacadas do prédio da FAU.
Um dia conversando com o Arnaldo Martino, ele me contou que ao visitar a obra com o Artigas, quando estavam olhando o grande vazio interno, ainda com as formas dos pilares e da grelha de cobertura, o Artigas confessou sua preocupação com o resultado final, que não tinha certeza da correta proporção dos pilares.
Até os grandes arquitetos perdem o sono. Mesmo depois de terem sofrido muito para elaborar o projeto, pensado e repensado nas soluções.

Eduardo P L disse...

Peri,

esse esforço a que se refere é meio infantil, não acha?
Mas em nada desmerece o projeto!

roserouge disse...

Concordo, Peri, não sou maoista. Aliás, o Grande Salto em Frente só atirou milhões de chineses para a fome e miséria extremas. Pretendi ironizar a coisa. Mas a China está a tornar-se um caso muito sério para a economia mundial. E esse edifício é um deslumbre!

peri s.c. disse...

Eduardo
Material elaborado para ser visto por leigos, explicitando as nuances do "partido" adotado.

Nota : "partido" em arquitetês são as concepções prévias que definirão as características das plantas e volumetria do projeto

peri s.c. disse...

Roserouge
Meio que perdido nas respostas aos comentários, não notei a fina ironia.

Eduardo P L disse...

Peri,

e você tem razão: lá foi apresentado ao PARTIDO e nem todos entendem de boa arquitetura, mas sabem bem interpretar os simbolos de que tratamos!

peri s.c. disse...

Eduardo
Exato, explicaram o partido ao Partido, sem tomar partido.

Eduardo P L disse...

E o projeto saiu do partido inteiro, com votos unos, e não partidos!Peri, bom post, e sem partidarismos!

anamoraes disse...

uma beleza, messsmo! Bjs

peri s.c. disse...

Eduardo
Sem partidarismos?
1. Se o foco do Armazem estivesse voltado para arquitetura, e o grosso das visitas fossem de animados coleguinhas do reduto, teríamos discussões mais intensas e sanguinárias que as que temos quando falamos de política, eh, eh. Ia sobrar até para o Niemeyer e P. M. da Rocha, as vítimas preferidas. E diriam que esse projeto é até meio que simplório perto das novidades mais agressivas que existem à disposição e em execução.
2. Havia uma brecha que ninguém se preocupou em comentar : as pujantes ilhas capitalistas ( Hong Kong e Shangai, etc ) que vicejam em pleno novo-comunismo.

peri s.c. disse...

Ana
Uma belezinha que eu gostaria de ter desenhado e embolsado os polpudos honorários ... capacidade temos, só falta quem nos indique , eh, eh ...

Fernando disse...

Oi, Peri,
um belo projeto, simplicidade e forma envolvente e agradável.
Talvez uma válvula de escape para tantos gigantescos prédios que os novos ricos do oriente estão a fazer.
Coloquei um post sobre um novo "piroco" de 1 km de altura, em Dubai.
Nem por ser feio, mas não gosto.
E a pergunta,"terias um escritório no andar 300 do tal prédio?"
abs
fernando cals
ps: e o seu blogue, continua arrasando!!!

peri s.c. disse...

Fernando,
Prazer em "revê-lo" por aqui !
Acho esse projeto um contraponto em relação a aquele exibicionismo nas alturas que andam promovendo lá nos Orientes.
Já comentei lá no Observador sobre o pirocão de 1.000m, e vem aí como você anotou o de 1.600m, na Arábia Saudita .
Mudamos de escala, altura de prédio, agora é em quilômetros !
Quero ver quando um destes começar a sair do prumo. Como diz um calculista de estruturas amigo meu, engenharia não é uma ciência exata, como todos pensam.