#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

19.9.08

Coreto Musical 1

Inauguramos nosso Coreto Musical para que você cante alegremente conosco, com o sensacional tango Cambalache, composto em 1934 por Enrique Santos Dicepolo. Interpreta-o el gran cantante Julio Sosa .
Por razões óbvias, basta prestar atenção à letra, essa música foi proibida por todas as ditaduras militares do país de nuestros hermanos, desde 1943.
Letra abaixo em versão de Raul Seixas , onde pode ser sentida uma certa atualidade, parece que o seculo XX não acabou.
Caetano também gravou. Quem desejar a letra no original,
aqui.





Que o mundo foi e será uma porcaria eu já sei
Em 506 e em 2000 também
Que sempre houve ladrões, maquiavélicos e safados
Contentes e frustrados, valores, confusão
Mas que o século XX é uma praga de maldade e lixo
Já não há quem negue
Vivemos atolados na lameira
E no mesmo lodo todos manuseados
Hoje em dia dá no mesmo ser direito que traidor
Ignorante, sábio, besta,pretensioso, afanador
Tudo é igual, nada é melhor
É o mesmo um burro que um bom professor
Sem diferir, é sim senhor
Tanto no norte ou como no sul
Se um vive na impostura e outro afana em sua ambição
Dá no mesmo que seja padre, carvoeiro, rei de paus
Cara dura ou senador
Que falta de respeito, que afronta pra razão
Qualquer um é senhor, qualquer um é ladrão
Misturam-se beethoven, ringo star e napoleão
Pio ix e d. joão, john lennon e san martin
Como igual na frente da vitrine
Esses bagunceiros se misturam à vida
Feridos por um sabre já sem ponta
Por chorar a bíblia junto ao aquecedor
Século xx "cambalache", problemático e febril
O que não chora não mama
Quem não rouba é um imbecil
Já não dá mais, força que dá
Que lá no inferno nos vamos encontrar
Não penses mais, senta-te ao lado
Que a ninguém mais importa se nasceste honrado
Se é o mesmo que trabalha noite e dia como um boi
Se é o que vive na fartura,se é o que mata,
se é o que cura
Ou mesmo fora-da-lei


10 comentários:

anna disse...

como diz o livro da sabedoria" nada existe de novo embaixo do sol".

nem mesmo as moscas.

Unknown disse...

Que delícia, Peri, ouvir este Julio Sosa que meu pai na década de 50 ouvia nas radio-vitrolas, em discos ??quantas rotações?. Deu saudade!
E a Anna tem razão, nada mudou! E pelo visto não vai ser tão logo que mudará!

GUGA ALAYON disse...

A merda tá mais apetitosa. Isso mudou...

Anônimo disse...

Anna
O dia em que tivermos algo novo, será um buraco negro, só que ele será o fim de tudo.

Anônimo disse...

Eduardo
Curioso ele era urugauaio, assim como o Gardel. E o tango surgiu também no Uruguai.
Como os argentinos aguentam isso ?

Anônimo disse...

Guga
Claro, agora temos " extra-vergines", acetos balsâmicos, finas ervas, para temperá-la.

Ery Roberto Correa disse...

Que letra! Que contemporaneidade!
E quantos cabem dentro dela...

Anônimo disse...

Ery
maravilha de música e letra.

Anônimo disse...

Peri,

valeu, por tudo.

Beijo,

Vivina.

Anônimo disse...

Vivina
Estamos sempre garimpando procurando estes insights/registros críticos de nossa tão banal realidade.
beijo