#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

17.9.08

Black Hole

No post ali em baixo " Nem eles que são brancos se entendem" especulávamos sobre o os riscos de certas e esquisitas experiências científicas .
Estávamos todos de olho lá na Suiça, à espera do fim dos tempos, via o surgimento de um buraco negro.
Olhávamos para o lado errado.



Ele estava sendo gerado era em Wall Street mesmo. Não deve acabar com o mundo, mas vai dar uma bela corroída em nossos já combalidos bolsos.

Interessante com a arquitetura tem lá sua interferência na vida. Esses prédios enormes com suas modernas "curtain-walls" ( panos de vidro ) nas fachadas, normalmente não tem janelas que abrem. Isso parece que impediu a repetição da cena da crise de 29, quando banqueiros saiam voando por elas. Ou será que não se fazem mais banqueiros como antigamente ? Até agora nenhum se esborrachou nas calçadas onde desfilam soberbos.



34 comentários:

Anônimo disse...

é desanimador viver em um mundo em que as grandes corporações ditam as regras, muito mais do que os governos; e onde o jogo financeiro determina o destino de gente que, em sua esmagadora maioria, não tem idéia do que isso se trata.

Unknown disse...

Na verdade, esses prédios não tem janelas. Os vidros são fixos! Para isso, exatamente! Caso contrário o seguro de vida ficaria mais caro. Mas nesta crise a primeira a falir foi a Cia de Seguros! Estamos perdidos! Nem pular da janela se pode mais!

Anônimo disse...

Marcio
O poder econômico sempre ditou as regras e os destinos. E desenhou os buracos, mais profundos quando revela sua incompetência voraz,
onde o resto da sociedade acaba enfiada.

Anônimo disse...

Eduardo
Mas eles podem usar as alturas da Estátua da Liberdade para os grandes e midiáticos saltos finais.

O problema é que lá embaixo, nem os mordomos estarão para juntar elegantemente os restos mortais dos finésimos banqueiros, já deram-no-pé sabendo que no fim do mês não receberâo salário.

... disse...

Entendendo o taylorismo, essas novas arquiteturas PM, para que precisa de janelas?
Vai desvirtuar a "atensão" dos trabalhos isso é mal para a producão.
São vidros para refletir realidade externas:
O pequeno parecer grande, o grande parecer enorme e o enorme parecer gigantesco. it's think.
Abs.

anna disse...

peri's , acho que eles voam sim, só agora em seus jatinhos e direto prôs seus paraísos fiscais onde podem ficar pertinho de suas fortunas.

Anônimo disse...

Fernando
"arquitetura PM" ?

Você leu " da Bauhaus ao nosso caos" do Tom Wolf? Uma detalhe que não esqueço é sobre essas torres de vidro de trocentos andares.quando os executivos entram em uma a primeira coisa que fazem é colocar muitos móveis junto aos vidros de fachada, para diminuir a sensação de vazio...

Anônimo disse...

Anna

Voarão para o Thaiti, mas tristonhos, não "pegará bem" dar mais uma Ferrari para o Jr, no Natal.
Afinal seus credores frequentam os mesmos paraísos.

... disse...

Pos moderna - post mortem

Anônimo disse...

Peri,

sua pergunta -"será que não se fazem mais banqueiros como antigamente?" - é uma afirmação, sabemos.
Nem banqueiros, nem bancos, muito menos janelas.
Pensando bem,nem fim do mundo, socorro!

beijo,

Vivina.

Anônimo disse...

Sempre podem dar um tiro na cabeça. Faz menos porcaria.

Anônimo disse...

Fernando
Ahhhh.....

Anônimo disse...

Vivina
Estamos melhorando para pior.

Anônimo disse...

Roserouge
Tiro na cabeça com bala de prata, são os modernos vampiros, que chupam o sangue de virgens e não virgens. Melhor garantir o "serviço" com uma estaca de madeira no coração, também.

valter ferraz disse...

Peri,
enquanto isso, aqui na Bananolândia dizem que ela será imperceptível.
Será?
Abraço forte

ps: Márcio, sem discussões por favor!

Ery Roberto Correa disse...

Peri, e a propósito da intervenção do Valter, vocês viram a charge de hoje do Sponholz?

Anônimo disse...

Valter
Claro que será perceptível. Só não se sabe o tamanho da trolha.
Existe uma frase ótima sobre os experts no assunto : Pergunte alguma coisa a 10 economistas e você terá 12 respostas diferentes.
Estou aguardando relatório mais conclusivo da P.S.C.& Brothers Economic Data, para me pronunciar com mais precisão.

Anônimo disse...

Ery
Fui lá ver. Ah, ah.
Prá quem se interessar :
http://www.sponholz.arq.br/

José Louro disse...

Comentários de luxo.

Ery Roberto Correa disse...

Legal né? Desculpe por não ter adiantado o link.

Ery Roberto Correa disse...

... outra coisa: não tem o "www". É só http://sponholz.arq.br/

valter ferraz disse...

Peri/Ery,
fui lá no Sponholz. Incrível a "nossa" sintonia.
O cara é muito bom e completamente antenado com o momento.

Anônimo disse...

José
Essa caixa de comentários, pelo nível de seus participantes, poderia ser considerada uma Wall Street dos blogs. Mas ... uma Wall Street fora dessa época de quebradeiras que vai continuar nos assombrando.

Anônimo disse...

Ok, Ery, obrigado

Claudio Boczon disse...

é, acabou o romantismo dos bancarrotos suicidas e dos outsiders tuberculosos...

Anônimo disse...

Valter
menos empolgação.

Anônimo disse...

Boczon
Os tempos mudaram. E muito

Patty Diphusa disse...

Eita garotos malvados, n�o? rs

bjs

Jorge Pinheiro disse...

Acho que agora é mais o Zé Povinho, aquele de que, por coincidência (ou talvez não), eu falo hoje no Expresso da Linha.

Anônimo disse...

Patty
mas no fundo, bem lá no fundo, boas pessoas.

bjs

Anônimo disse...

Jorge
O Zé Povinho é supra-nacional. É um evento humano, profundamente humano.

GUGA ALAYON disse...

"Nem eles que são Bancos se entendem".
Como uma merda abstrata como a bolsa tem queda de 5 % num dia e aumento de 5 % em outro.
Nesses prédios-estufa deve haver além do elevador social e o de serviços , o de queda-livre.

Anônimo disse...

mudaram os tempos?...sei não.

valter ferraz disse...

Guga,
jogatina que se prese, tem que ter emoções fortes. Se não fica chato, né?
Abração, cara