#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

24.4.08

O dia em que ( de novo ) a terra tremeu

Photo by P.S.C. Seismologics Activities Views


Este terremoto que tivemos essa semana ficou muito aquém das nossas mórbidas expectativas. Força de 5.2 na escala Richter. E que pobre mortal entende alguma coisa desta escala Richter? Que diga-se de passagem é logarítimica. Umas tremidinhas bobas, rachadurinhas aqui, outras ali, tonturinhas, madames assustadas com seus lulus no colo e para tristeza da imprensa, ninguém esmagado sob toneladas de escombros.

Mais emocionante foi o de 2005, um domingo à noite, que ninguém lembrou de comentar, força de 2.2 na tal escala. Só que neste o epicentro foi na Serra da Cantareira, bem ali no Horto Florestal, pertinho da sede de nossas organizações. Foi interessante porque além das tremidonas, ouviu-se o espetacular estrondo das entranhas da terra desmoronando. Parecia que a misteriosa explosão é que mexeu as paredes e sacudiu nosso lustre de cristal da Bohemia. Uma ótima maneira de encontrar, em segundos, todos os vizinhos no meio da rua, alguns já de pijamas e pantufas. Ridículo.


Mas voltando ao tremor mais recente, nossa investigativa e alerta imprensa não sacou um pequeno detalhe : que a questão não foi o que e onde tremeu, mas o local onde aconteceu .


arte da FSP

Bem na Bacia de Santos, local onde a Petrobrás está achando a cada crise política, mais um pedaço do maior mega-gigante-turbo campo de petróleo do país.
Será que este estertor sismológico não rachou no meio o mega-gigante-turbo bolsão petrolífero ? Ham? Será que o óleo não vai fugir lá para o Japão ?


18 comentários:

anna disse...

periseinstein,

valeu pela aula, pois entendia lhufas do assunto e agora posso até palpitar sobre.

esse negócio do homem ficar fuçando na terra, jogando coisa no espaço, nos rios e cortando árvores um dia num vai acabar bem.

e essa insinuação de que a petobrás (como diz nosso presidente) achar fonte de petróleo a cada crise política, pôs um pulgão conspiratório em minha orelha.

Marcio Gaspar disse...

acho que não tem nada a ver, tentar estabelecer uma relação de causa e efeito entre as perfurações da petrobrás e o recente terremoto. li vários especialistas que comentaram sobre o 'treme-treme' de terça-feira e nenhum mencionou, nem de longe, tal relação.

peri s.c. disse...

Anna
pulgão conspiratório nada, faz tempo que a Petrobras é usada para isso .

peri s.c. disse...

Marcio
Não há nenhuma relação de causa e efeito. O curioso é que ninguém comentou que foi lá.
O campo, informam, está à 5 km de profundidade, nunca li nada sobre qual a sua espessura. O epicentro foi a 10 km, será que não foi chegou bem pertinho ? Essa proximidade, nada em termos da crosta terrestre, não afetaria de alguma maneira o bolsão ?

Marcio Gaspar disse...

sinceramente, não faço a mínima idéia, peri. teríamos que consultar os 'universitários'...

jayme disse...

Peri, não seria um imenso arroto do planeta?

peri s.c. disse...

Jayme
uma pequena indisposição estomacal

ery roberto disse...

Peri, Jayme, foi nada disso. O Macaco tá certo: foi um "pum" da mulher Melancia! Já aquela ressaca que em seqüência aconteceu na baia da Guanabara, tem um conterrâneo aqui achando que "foi causada pelos estouros dos balões do Padre Aderli de Carli". Fermentação intestinal e explosão de gases, inclusive hélio.

Gostei do cutucão na imprensa, Peri. Será que domingo a Rede Globo sacrifica a F1?

Adelino disse...

Peri, eu vi sim uma "otoridade" no assunto comentando sobre a influência que teria nas reservas da Petrobras. Por ele, nenhuma. E mesmo se tivesse, diria a mesma coisa. Por incrível que pareça, Peri, ontem ouvi na CBN uma "otoridade" dizendo que todas as precauções estão sendo tomadas num lugar lá do Norte para que uma epidemia da dengue não aconteça por lá. Disse textualmente isso:
"Afinal, o que abunda não excede".
Fiquei esperando algum comentário dos "âncora", mas nada. Apenas um caso de cacofonia.
Grande abraço.

PS - Peri, na escala Richter, cada ponto corresponde a danos 30 vezes mais forte do que o anterior, disse um entendido.
Abs

Adelino disse...

Peri, alguém se lembra do tão criticado ufanismo dos militares quando estabeleceram aquelas milhas como águas territoriais? E não o trivessem feito?
Abraços

peri s.c. disse...

Adelino
1. Sem dúvida, não comentariam, assunto que só seria do conhecimento das grandes cias petroleiras internacionais e portanto, o único indicativo que temos é o preço das ações da Petrobrás nas bolsas internacionais, se caírem essa semana, o bolsão tá com vazamento.

2. Abunda "curtura" em nossas "otoridades"

3. Porisso que falei em escala logarítimica.

4. Os militares já sabiam, pelo menos da Bacia de Campos, que já tem 32 anos de produção. Mas na época só contaram para o Dom e Ravel.

peri s.c. disse...

Ery
1. Terremoto ( terremoto, como se o epicentro foi no mar ? ) pífio, não provocou nem uma pororoca, quanto mais um tsunami.
2. Não sacrifica, se é que entendi ao que você se referiu. Por curioso que possa parecer, experts no assunto dizem que patrocinadores não gostam deste tipo de audiência.

Eduardo P.L. disse...

Peri,

a terra esta tremendo de raiva das notícias da Petrobras!
Toda vez que o Lula precisa desviar a atenção de algum assunto inconveniente para o governo, a PETROBRÁS acha NOVOS e SUPER CAMPOS de petrólio. Nem a TERRA aguenta!

peri s.c. disse...

Eduardo
Que venham muitas crises, espero ansioso o anuncio de uma nova descoberta de uma jazida na bacia sedimentar do córrego Buraco da Onça,
bem aqui embaixo de nossa sede. alugaria nosso quintal para instalar uma das torres de prospecção.

GUGA ALAYON disse...

Vcs deviam ter uma prancha pra ver o que realmente um 'maremoto' provoca. Aí estariamos hoje todos na praia atrás de uns uns bons vagalhões.

peri s.c. disse...

Guga
o chamado surf-sísmico, você continua a surfar quando chega na areia.

anamoraes disse...

Peri, sabe que lembrei da petrobrás, sim, quando soube do terremoto e vi um mapinha em alguma emissora? (não senti absolutamente nada onde estava)

peri s.c. disse...

Ana
também não senti, estava tirando um cochilo pós-jantar, fui acordado por Mme Peri assustada com os tremores que agitaram sua poltrona .