#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

3.10.07

Bóris , o homem-tronco

Conforme sugestão do NeilSon, Bóris ataca.
Pequena seleção deste personagem do Jaguar. Ainda faltam da maravilhosa galeria jaguariana o Sig, Gastão o vomitador, Dr Carlinhos Bolkan o gênio do mal, Os Choppnics.

Alguns deles hoje impensáveis, nesta tediosa onda politicamente correta. Nome esquisito esse : desde quando política(o) é correta ?










Post- PS : Nossa memória é zero. Maior dificuldade encontrar desenhos do Jaguar na net. Numa entrevista ele disse que se juntasse tudo o que desenhou desde quando começou, daria pelo menos um cartum por dia. Cadê o registro do mais escrachado cartunista brasileiro?

12 comentários:

Marcio Gaspar disse...

HAHAHA, sensacional, Peri!!! E fica a sugestão para todos: se encontrarem por aí o livro 'Confesso que Bebi', do Jaguar, comprem e leiam imediatamente! Eu rrrrrrecomendo!

Marcio Gaspar disse...

homem-tronco, mas elegantísssimo em seu paletó e gravata, haha

peri s.c. disse...

Marcio
Livro impredível, de um pesquisador que já correu todos os riscos, para definir os melhores butecos e afins.

O Bóris não é um homem-tronco qualquer. Usaria Armani ?

Lord Broken Pottery disse...

Peri,
Super bem lembrado. Mas falando em memória, que pena que somos um povo tão esquecido, não é mesmo?
Abraço

peri s.c. disse...

Esquecido e pouco combativo.

e-grafia disse...

Desenhos não só dele como de outros também, isso chama-se proteção de direitos autorais (bem ou mal).

Tem um filme nacional "Tropa de Elite" que os produtores vão adiantar o lançamento, porque calculam que já exista perto de 1 mi de dvds piratas no mercado.
http://www.atarde.com.br/cultura/noticia.jsf?id=794681
É mole?

e-grafia disse...

Ah! falando em filme, anime e banco do brasil, vai acontecer de 10 a 21/10 o festival "anime no cinema" no CCBB.

jayme disse...

No Pasquim, os personagens do Jaguar habitavam não apenas as páginas como também as margens e os menores buraquinhos entre os textos. Ele devia se divertir rabiscando sobre as artes finais, naquele tempo ainda feitas com papel fotográfico sobre parafina.

peri s.c. disse...

E
Nada, é esquecimento mesmo. A verificar questão de uso não comercial, no nosso caso, nos blogs.

peri s.c. disse...

Jayme
O Sig era o interlocutor/apresentador marginal, estava sempre às margens ( pouco ) plácidas. Eram quase anotações,enriquecia muito o conteúdo, não?

Eduardo P.L. disse...

Muito bem lembrasdo. Justa homenagem.

peri s.c. disse...

Eduardo
Mais que uma homenagem, é para vocês darem risadas, mesmo. Eu me diverte prá cacete coletando este material.
E lembrar, que já tivemos tempos onde surgiam personagens como esse, portanto tempos muuuuito mais alegres.