#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

10.9.07

voa, severino, voa

O mundo gira, a Lusitana roda e alguns Severinos avoam.

Com a trilha sonora, de Chico Buarque que interpreta : Construção-Deus lhe pague.
" ....Pelos andaimes pingentes que a gente tem que cair,
Deus lhe pague ..."

Post Post -Scriptum necessário, 12/Set : Ontem à noite num longo e agradabilíssimo simpósio etílico-não-virtual com finos representantes do mundo bloguístico paulistano, uma conhecida comentarista profissional perguntou o que exatamente mostrava esta pequena foto. Ok, máquinas fotográficas digitais tem suas limitações de objetivas.
Seguinte : o Severino em questão é um trabalhador pendurado a uns 30 metros de altura por um cabo de aço de uns 20 metros de comprimento, na empena de um edifício, fazendo um reparo no revestimento externo. Nosso homem-aranha tupiniquim, com todas aquelas condições de segurança que vocês podem imaginar.
Pensei até em mudar o título do post para : Rappel dos excluídos.

6 comentários:

anna disse...

peri's, quem é o pobre ser sem asas numa altura dessas?

Lord Broken Pottery disse...

Peri,
Apenas uma correção: o Severino avoa!
Abração

peri s.c. disse...

Anna
O nosso homem-aranha.

peri s.c. disse...

Ô se avoa.
( Lord, a partir de seu comentário criei um subtexto para o post )
Abraço

anamoraes disse...

uauh!!! que vôo!

peri s.c. disse...

Ana
O voo dos phoenix.
Severinos ressurgem das próprias cinzas.