#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

24.7.07

The books are on the table .

O Adelino convoca, e dentro do saudável e possível critério dos "preferidos" e fora do critério dos " 5 mais ", lá vai ( a ordem é aleatória, preferências dependem do dia, como as nuvens e os ventos ) :

1. Millor Definitivo : A Bíblia do Caos. 5.142 verbetes. Nosso maior pensador, na palavra e no traço. Seu maior defeito é na barriga da miséria ter nascido brasileiro, se americano ou europeu, talvez fosse conhecido mundialmente. E seria traduzido para o português pelo Ruy Castro. E viria ao FLIP, de primeira classe.

2. Ivan Lessa, gênio, preferencialmente Os Garotos da Fuzarca, mais qualquer outro livro, ele tem poucos, muito poucos. Se eu fosse do ramo das escritas, gostaria de ser ele.

3. Rubem Fonseca e seus primeiros livros : Os Prisioneiros, A coleira do Cão, Lúcia McCartney, Feliz Ano Novo. Algumas pauladas assustadoras, na época. A vida se encarregou de, digamos, banalizá-las.

4. Nelson Rodrigues. Qual deles mesmo ?

5. Luis Fernando Veríssimo, nosso contador de histórias do dia-a-dia, quase todo dia. Haja fôlego. Sei lá exatamente qual, pode ser o Crônicas da Vida Privada, pela síntese da obra, mas todos tem preciosidades.

6. Ítalo Calvino, à sua escolha .
Minha professoressa de italiano nem podia ouvir falar dele, tantos os seus livros que foi obrigada a ler na escola, na Itália.

7. Dashiel Hammett e Raymond Chandler, farinhas do mesmo saco, qualquer livro. Delícia.
( Para estes dois senhores, desejável que sejam leituras noturnas, à meia-luz, com um uma garrafa, melhor, um frasco de uisque barato e um copo sem gelo ao lado, um cinzeiro e um maço de cigarros. E num ambiente com persianas na janela. Seus livros são companheiros ideais para viagens profissionais, compõe o clima meia-boca daqueles hotelecos metidos a modernosos, argh, com porcelanatos nos pisos dos quartos, dos confins deste país, mesmo que de vez em quando esse confim seja uma ou outra capital, o clima meia-boca e mofado é o mesmo )

8. David Douglas Duncan, um fantástico fotógrafo, com dois enormes e maravilhosos livros, comprados baratinhos na época do Clube do Livro, em ótimas e caprichadas edições. Sensibilíssimos ensaios, sobre a presença e ausência de Pablo Picasso. O primeiro, a presença : Viva Picasso . DDD conviveu com o universo da vida particular do artista. Fotos incríveis de atos de criação. O segundo, a ausência : O Atelier Silencioso. Depois da morte de Picasso, DDD foi designado pela família para fotografar o enorme acervo deixado pelo pintor. Um grande registro do vazio deixado por uma pessoa, clicando suas obras repentinamente congeladas nos ambientes de seu atelier, subitamente estático.
Empate técnico com Sebastião Salgado, e seus Trabalhadores e Exodos.

9. George Pratt. " Ás Inimigo ". HQ. Não, PQ, pintura em quadrinhos. Desta publicação, vocês provavelmente : nunca ouviram falar e nunca a verão. Edição de 95, em album de "luxo" da Abril Jovem. Impressionante, densa, se fossem quadros, mereceriam uma ala num bom museu. A Primeira Guerra Mundial e a Guerra do Vietnã se tocam nas figuras, diálogos, memórias e angústias, durante alguns encontros entre um ex-piloto alemão e um ex-soldado americano. Um manifesto contra qualquer guerra. Criação original de Robert Kaningher e Joe Kubert.
E tem também o Will Eisner, e tem o .... e o ....

pô, chega de listas, o coisinha trabalhosa e injusta.

Repasso a tarefa para o Jayme, do Dito Assim, o Guga do A3 ( em recesso ), o A. do Carne Crua, a Ana do Filosoclics e no Porão Abaixo , o Boczon

Post Scriptum : INJUSTIÇA ! Isso é o que dá fazer listas : esqueci do Leminski e do Dalton Trevisan, póóóóde ? Humm , e Ana Cristina Cesar, Cortazar, Sergio Augusto, Ruy Castro, Buzzati, Moravia y otros más ...desisto.

Post Scriptum 2 : O empate técnico que determinei entre estes livros do DDD e do Sebastião Salgado é ingrato num aspecto, o DDD fez suas fotos no bem-bom de quase um castelo, com bons vinhos e refeições, uma provável confortável cama, em meio a agradáveis conversas e vendo obras de arte sendo criadas. Já o Sebastião Salgado fez seu trabalho no meio do ruim e do pior dos arrebaldes do mundo. Li uma entrevista dele, onde cita algumas fotos,
do Exodos, que ele fez chorando. De qualquer forma, o DDD também fotografou guerras. São admiráveis estes fotógrafos.

20 comentários:

Adelino disse...

Peri, o melhor dessas listinhas trabalhosas é que podemos seguir indicações para excelentes livros. Gostei das suas predileções, é difícil citar todas, é certo, mas vale a pena. Bola pra frente...
Grande abraço

Eduardo P.L. disse...

Peri, saiu-se muito bem. temos lido mais ou menos os mesmos gêneros, e em alguns casos , os mesmos autores.

Parabéns!

PS- O Guga anda sumido mesmo!

peri s.c. disse...

Adelino, é mesmo, o importante são as dicas . São trabalhosas porque dá vontade de reler dois ou três livros de determinado autor para chegar à conclusão do preferido.
foi divertido, obrigado
abraço

peri s.c. disse...

Eduardo,
A coincidência seria a falta de conflito dentro de uma geração?
Creio que sempre teremos alguns autores fortes em determinadas gerações, no nosso caso, Millor, Ivan, Ruben, LFV. Procuramos, talvez inconscientemente, estes balizamentos.
abraço

peri s.c. disse...

Eduardo, melhorando a resposta : "...no nosso caso, dos que citei, Millor.... " .
Existem outros que me escapam agora.

valter ferraz disse...

Peri,
interessante tua listinha. Fiquei curioso quanto aqueles que vêm após as reticências.
O Millor, indiscutível, Ruben Fonseca estou lendo Bufo&Spallanzani que ganhei do Eduardo. Os outros não lí.
Como já se falou, as listas apesar de trabalhosas, são ótimas como indicações de leitura. Quando conseguimos, é uma festa.
Grande abraço

ps: por onde anda o Guga, hein?

peri s.c. disse...

Valter
até eu fiquei curioso com minhas próprias reticências... quais seriam os eleitos ? Oops lembrei de mais um : Luiz Alfredo Garcia-Roza, o psicanalista carioca que escreve histórias policiais do Inspetor Espinoza, 6 excelentes livros.

Acho Ruben Fonseca melhor nos textos curtos, nestes é mestre. Dos longos, meu preferido é o Caso Morel.
Li tudo que ele publicou.Como é absolutamente natural em qualquer artista, tem uma fase melhor, para mim a dos livros que citei.

Do Guga, não sei, falei com ele semana passada, estava tudo ok.

anna disse...

peri's, gostei de mais de sua lista, numeração repetida, p.s. do que faltou/lembrou e ainda reticêncis.

aliás, poderia até pensar em fazer resenhas, não?
são ótimas¡

peri s.c. disse...

Anna
Obrigado .
Numeração repetida: as constantes alterações, vou consertar.
Resenhas, quem sabe.Neste negócio de blog, quando pinta uma idéia você quer postar logo, aí saem insconsistências.
Textos mais longos tem que ser mais maturados.
Se você olhar com cuidado, este meu blog é muito dinâmico : boa parte de meus posts, sofrem pequenas reelaborações posteriores.
Acho que são os desvios profissionais interferindo. Só o Paulo Francis prá escrever de primeira.

Anônimo disse...

peri's, meu comentário não tinha um pingo de ironia. sério! a questão é que me identifiquei com a numeração repetida (ué, qual o problema de dois no mesmo pódium?, além de ainda ter outras lembranças ao finalizar o post.

e ao sugerir ser "resenhista", é porque saquei os livros só com suas palavras.

anna

peri s.c. disse...

Anna,
Na verdade o pódio é único, grande patota, todos medalhistas de ouro.
Não senti ironia, não.
Legal. A concisão é um desafio.
Viu que de seu primeiro comentário para o segundo, aconteceram complementações no texto ?

peri s.c. disse...

putz, na priemira resposta para a Anna : "inconsistências"

anamoraes disse...

ahhh, alguém me chamou? Tentarei, ando tão trabalhadora do Brasil..
Mas como já disse a Anna, só pelas resenhas, já sentimos o clima do livro - tá uma delícia essa lista!Imaginei-me sentada em bela poltrona, aconchegada a uma lareira acesa, lendo a pilha toda(como se de férias estivesse)..humm, que saudades desse lugar.

peri s.c. disse...

Ana
Está convocada.
Létîsgol!
Também queria esta poltrona, e esta lareira.Leria tudo de novo, da primeira à última página, com anotações.

Anônimo disse...

gente, o guga não queria conta, mas como há preocupação no ar aviso que ele foi depurar sua alma conturbada no caminho de compostela.
depois uma passadinha no país dos dalai's.

anônima

peri s.c disse...

Cara Anna Anônima
Menomale, o Paulo Coelho também levou sua alma conturbada para aquele caminho. E deu no que deu. Torcemos pelo Guga. Pelo menos livros autografados vamos ter de graça.
( e também alguns conselhos, naqueles encontros etílicos-bloguísticos ).

Eduardo P.L. disse...

Ahhh, bom, Agora fico mais sossegado, a falta inexplicada do Guga, estava me preocupando. Cada um anda pelos caminhos que quiser, até o de Compostela...

anamoraes disse...

Peri, tô cumapreguííí......só agora chegou seu email, hehe, sexta noite, frio, humm, acho que não vai rolar...sorry. Tenho um fondue e um vinhozinho pra cuidar, sab?

anamoraes disse...

A não ser que possa para o ano que vem...

peri s.c. disse...

Ana
qui fondue e vinhozinho qui nada, você tem um prazo improrrogável de uns 3 anos prá cumprir a tarefa, mexa-se.