#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

19.6.07

Incansáveis Clicks

Walter Firmo, um dos grandes da fotografia brasileira, comemora 70 anos de idade e 50 anos de câmera na mão. Ele também foi da fantástica equipe que da Revista Realidade, talvez a melhor publicação já feita por nossa imprensa. Nela vimos os melhores fotógrafos brasileiros desenvolvendo ensaios incríveis. Foi aí que comecei a gostar de fotografia.
Praticamente todos já viram fotos dele, a mais conhecida deve ser a do Pixinguinha em seu quintal, na cadeira de balanço com o sax no colo. Quem folhear seu livros vai ter uma síntese tocante do Brasil urbano e rural, cru nas fotos em branco e preto, rico visualmente nas coloridas. Selecionei algumas em p&b, das que eu não conhecia.



O primeiro pilar do Palácio do Planalto. Histórica e muito curiosa, para quem é do ramo. Ele já está desformado. Será que Niemeyer pediu a retirada das formas, para analisar suas proporções ?


O incrível Tenório Cavalcante, seu charuto e seu chapéu. Faltou a Lurdinha. Hoje, as Lurdinhas não são mais exibidas pelos senhores deste ramo de atividade. Mas devem tê-las.


Esta, lindíssima, vai como uma lembrança para o Lord . Quem está no quadro é Graciliano Ramos.




16 comentários:

GUGA ALAYON disse...

bárbaras

anamoraes disse...

grande Firmo! Interessante que para a mídia ele é conhecido mais pelas fotos coloridas " a cor do Brasil", etc etc..mas as PBs são incríveis mesmo.

anna disse...

peri's, demais as imagens.
faltou a capa preta do tenório. talvez por isso a lurdinha não apareça na foto.

Lord Broken Pottery disse...

Peri,
As lurdinhas hoje são completamente desnecessárias. O jogo sujo é feito por amigos de carne e osso. Eles pagam as contas, mentem, protegem, pra que andar armado?
A foto onde o velho aparece é genial, né?
Abração

peri s.c. disse...

Guga, Ana e Anna
O Firmo começou com as Rolley-Flex ( aquela de Brasília, quadrada, só pode ser uma Rolley )e fez polícia, esporte, política, etc. Este cara tem história. A pesquisa hoje de manhã foi uma delícia, vi muita foto dele que não conhecia. Esse post surgiu pq tem matéria de pg inteira no caderno 2 do Estadão hoje.

E claro, Anna, faltou a capa preta!

peri s.c. disse...

Lord, as lurdinhas ainda são usadas, ou mostradas, em certas regiões, para convencer os mais renitentes.
Aquela foto do " velho" é genial mesmo.
abraço

Eduardo P.L. disse...

Peri, que postagem barbara.
A de BRASÍLIA é antológica!
A do avô do Lord MEMORÁVEL.

D+

peri s.c. disse...

Eduardo,
Obrigado, mas se começar a fazer postagens com fotógrafos brasileiros bons, isso aqui vira um blog só sobre fotografia.
Sobre o Firmo fiz uma pesquisa rapidinha e apareceram essas fotos aí.
A de Brasília além de antológica, é incrível, para fazê-la ele entrou na cabine do guindaste que está movimentando uma viga.
Abraço

valter ferraz disse...

Peri,
fotos sensacionais. Teve um tempo que eu queria estudar fotografia(olha aousadia do moço!) só por causa de uma fotos do Sebastião Salgado que eu jurava fossem do Firmo. Devia ter estudado apenas para não fazer confusão, né?
Olha a foto de Brasília, acho que foi ELE que mandou desenformar sim. Elemento de prova;
para mim o rosto do Tenório Cavalcanti sempre será o do José Wilker e Lurdinha, empregada doméstica. Hoje usam HK-47 ou Uzi.
GRaciliano, sempre!
Abraço, amigo

peri s.c. disse...

Valter,
sempre é tempo de começar.Para fotografia, o importante é ter o olho afinado. Ou aprender a afiná-lo. Não pense que a foto é boa porque a máquina ( aliás, a lente) é boa.
Se bem que , os melhores carregam as melhores nas mãos, eh, eh.
Mas tem muito cabeça-de-bagre por aí com as melhores na mão.
O Sebastião Salgado e eu pusemos a mão na primeira câmera , na mesma época , e na mesma câmera: uma Pentax Spotmatic II. Será que eu poderia ter sido um fotógrafo como ele?

Eduardo P.L. disse...

Peri, respondo, eu pelo Valter, ou melhor dizendo, respondo a pergunta que fez ao Valter: poderia!

peri s.c. disse...

Eduardo, sei não, sei não, o talento não nasce como grama, em qualquer lugar. Existem algumas particulas sub-atômicas ali na cadeia de DNA que diferencia o comum do incomum.

claudio boczon disse...

Pô não sabia que o Tenório também apresentava telejornal

...vir vendo e aprendendo.

Agora, aquela de Brasília deve ter sido manipulada pelo SNI (ou o equivalente à época), sabe como é, aquele jogo de desenformação típico de quem está por cima da carne seca.

Abraço

Eduardo P.L. disse...

Peri, o Sebastião não é isso tudo. Acredito na sua "grama"...
Desta de Brasília, gostei tanto, que RE posto-a no Varal hoje em sua homenagem.
Bom fim de semana.

peri s.c. disse...

Boczon,
TC apresentava a Hora da Baixada e encerrava , toda noite, com uma rajada de balas.
Tudo foi manipulado, a curva dos pilares era para o lado de fora. Resultou em uma séria crise entre Oscar e Juscelino.

peri s.c. disse...

Eduardo, o cara é bom. Obrigado pelo crédito, quem sabe ?