#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

23.5.07

Quatro sentidos, quatro pensamentos

De onde vem ?
Prá onde vão ?
Como imaginam os espaços e a multidão das velhas ruas do Centro ?
Desalinhados, procurando o vento no rosto, ampliando os horizontes de percepção ?



Mais uma linda foto do Marcelo Min, o fotógrafo que desvenda as quebradas e as pessoas de nossa louca cidade.

24 comentários:

Fernando Zanforlin disse...

Peri, eles não vão e nem vem de lugar nenhum. Estão dentro de um espaço infinito.

anamoraes disse...

maravilha de foto..e de palavras, peri.

franka disse...

ai que impressionante.

anna disse...

do cinema?
ver a mostra no banco do brasil?

tá bom, tá bom. vou colocar o cilício já e tirar o dia pruma mea culpa. bem capaz ir até amanhã, porque a lista de maldades está enorme.

Lord Broken Pottery disse...

Peri,
É mesmo uma cidade muito louca. E comovente...
Abração

Eduardo P.L. disse...

Peri, toda cidade grande é isso. Fria e impessoal. No caso uma população "sega" para o "outro".

valter ferraz disse...

Peri, vc acaba de me apresentar o fotógrafo para minhas crônicas urbanas. Me sentí alí ao lado dele, registrando o que ele fotografava.
Nossa louca cidade sempre cheia de estórias.
Para onde vão? Por aí, por alí. Logo se perdem na multidão anônima.
Um abraço forte

peri s.c. disse...

Fernando para eles o mundo não vem pronto, é infinito em suas variações.

peri s.c. disse...

Ana
Acabei cortando o quinto pensamento : quatro sentidos bastam para uma bela vida ?

peri s.c. disse...

Franka, fiquei arrepiado.

peri s.c. disse...

Anna, um dia ? Pelo menos sete com o silício e mais sete ajoelhada no milho.

peri s.c. disse...

Lord, o centrão é o melhor resumo dessa loucura e onde mais se revelam estes aspectos comoventes. Ganha até da Rodoviária do Tietê. Terra de ninguém e de todos.

peri s.c. disse...

Eduardo, mas surgem nelas estas estranhas manchas de humanidade.

peri s,c, disse...

Valter, já tinha apresentado! No post sobre o edifício Esther,a foto é dele. Fotos de quem está com sua máquina e sentidos alerta. Abç.

Eduardo P.L. disse...

Peri, por essas e por muitas outras vais ser pendurado no VARAL por uns dias! Abraços,

peri s.c. disse...

Eduardo, honrosa deferência, obrigado.
abraços

valter ferraz disse...

Peri, não me lembro. Devo ter passado batido. Considero a partir de agora, então.
Abração

valter ferraz disse...

Peri, vc estava comentando lá e eu ainda editava o texto. Já está completo agora. Pode ler se quiser.
Abraço

Meg disse...

Belíssimo e impressionante o conjunto.

Peri: o próprio Marcelo fez a foto e a po[etica legenda ou vc que fez?
Beijos
Meg

peri s.c. disse...

Meg
Foto do Marcelo, legenda minha.
Visito sempre o site dele, pela qualidade de seu trabalho, principalmente pelo registro que faz da vida "anônima" desta cidade. Seu escritório , se não me engano é no Edifício Esther, na praça da República,bem no olho de um dos caldeirões onde ferve a feijoada existencial desta cidade. Vide o primeiro post que fiz, em nov06, com uma foto dele, outra linda foto .

bj.

Fernando Zanforlin disse...

Peri, já pensou viver dentro de um espaço infinito, sem limites, sem uma cor, sem luz.
Onde será que essas cabeças, seus pensamentos idealizam as coisas.
O tato, o paladar, e audição não são os melhores veículos de perceber as dimensões. Mas de outra forma esses caras tem um sentindo de distância e tempo que não temos.

peri s.c. disse...

Fernando
A natureza suprindo a falta de um sentido com a potencialização dos outros.

Fernando disse...

Oi, Peri,
entre a falta da visão, e o natura aguçamento de outros sentidos, a gente que não conhece essa falta, deve se por a pensar.
Até onde irão os limites dessas outras percepções?
abração
fernando cals

peri s.c. disse...

Fernando, o ser humano é o grande mistério.

abração