#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

14.4.07

?

Ava Gardner ganhou, apertado, a votação da " Mais bela Mulher do Cinema" lá no Milton Ribeiro . Resultado justo, votei nela. Mas dizem que nunca houve uma mulher como Gilda. Houve ?


Oh, céus.


12 comentários:

Lord Broken Pottery disse...

Peri,
Nós, os eleitores de Ava Gardner, estamos felizes. Fazia muito tempo que não ganhava uma eleição. Já estava reconsiderando a validadende do meu voto.
Grande abraço

peri s.c. disse...

Lord, e esta votação tem várias vantagens : a eleita não vai fazer discursos, não vai precisar de maioria em congresso nenhum, não vai
ter que acomodar impublicáveis interesses, não vai pensar em reeleição e etc , etc, etc. Bom, não?

GUGA ALAYON disse...

tb votei nela, mas meu voto foi anulado pela cx de comentários falha. Ótimo que ela tenha ganho. A Grace Kelly tb era outra das minhas poucas opções.

anna disse...

sei não... fosse a votação entre o benício del toro e o sean penn acho que ficaria na mesma dúvida que vc.

peri s.c. disse...

Guga, qualquer uma delas, até ali pela 30ª colocada seria irresistível.

peri s.c. disse...

Anna, a votação estava lá aberta para os atores também.
Ganhou o Paul Newman

jayme disse...

Peri, meu coração balança entre Rita Hayworth, Grace Kelly e -- menos óbvia -- Laure Bacall

peri s.c. disse...

Jayme, a lista é infindável. Lauren Bacall, menos óbvia? Humphrey Bogart não achava.

valter ferraz disse...

Peri, minha favorita não ganhou. Mas não tem importância. A vencedora foi merecida, fico feliz.
Abraço forte

anna disse...

sério? mas que saudosismo é esse?

claudio boczon disse...

considerando a Gilda como personagem de ficção, é uma verdade, nunca existiu uma mulher como ela; já a Rita, bom, quanto a esta não resta a menor dúvida.

mas esse charme das atrizes, digamos, antigas passa mais pelo imaginário que elas provocavam em homens e mulheres e que não se resumia só a peitos e bundas, essa coisa erotizada só na pele dos atuais dias da contemporaneidade de hoje.

e claro que, se for para exercer a imaginação com mulheres inatingíveis, o fato delas já terem passado para o outro plano da fotografia, ajuda um pouco, pois não?

peri s.c. disse...

Boczon, você chegou no ponto! Exatamente o do imaginário que provocavam. Podiam até não ser as mais belas, mas provocavam altos devaneios libidinosos. Imaginário muito mais complexo, elaborado e noir do que os provocados pelas musas de hoje em dia.

Anna, saudosismo nada, a enquete era em aberto, podia ser qualquer uma das atuais, no entanto... o mistério das antigas divas, com aqueles vestidos longos, aquelas luvas, aqueles cabelos, aqueles lábios vermelhos, aquelas baforadas, prevaleceu.

Valter, amanhã te respondo em um post se achar o recorte de jornal que estou procurando na bagunça dos escritórios.