#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

18.12.08

Sobmedida








by FNP

Este post é uma homenagem para aqueles marceneiros que não conseguem fazer direito nem um gabinete de lavabo


( do nosso bau de posts empoeirados - e melhorados - nessa republicação acrescentei o desenho .
Originalmente publicado em 14/03/07, e aqui com os comentários da época )


38 comentários:

anamoraes disse...

adorei, peri, mas pode traduzir detalhadamente, estou construindo e quero mais informações..não falo alemão..

peri s.c. disse...

Sem chance, Ana, também entendi bundespicas do texto. Minha curiosidade é a razão da preservação de tão significativa construção.
Nossa possível tradutora tedesca de plantão, a Anna, viajou, portanto só quando ela voltar.

valter ferraz disse...

Peri, problemas com marceneiros aí? Aqui os tenho com pedreiros. Não conseguem fazer um banheiro no esquadro. Na hora de colocar revestimetos o trabalho é em dobro. Cerâmicas no quintal é o mesmo sofrimento.
Abraço forte

peri s.c. disse...

Walter, eles estão treinando para tentar conseguir trabalho com o descontrutivista Frank Gehry, ( o arquiteto dos posts mais lá embaixo). Em seus projetos nada é em esquadro nem no prumo.

GUGA ALAYON disse...

Parece que os dois outros porquinhos aprenderam mesmo com o irmão prático.

peri s.c. disse...

Ah, ah. À prova de bafo de lobo

Lord Broken Pottery disse...

Peri,
Não faz muito tempo e contratei um marceneiro. O serviço era simples. Deveria fazer uma estante de madeira para colocar meus cedês. Saí de casa pela manhã deixando-o com essa tarefa. Quando voltei, feliz, reparei que o serviço estava pronto. Muito bem feito, por sinal. Paguei e preparei-me para a arrumação. Sabe o que aconteceu? Os cedês não cabiam nas prateleiras.

peri s.c. disse...

Lord, provavelmente a madeira encolheu entre o fim da execução e o início da arrumação. Não se fazem mais madeiras como antigamente.

Seria possível montar uma enciclopédia das besteiras de marceneiros.

claudio boczon disse...

bem dizia o Seu Zé: "bom carpinteiro mede duas vezes e corta uma, já o mau, mede uma e corta duas"

peri s.c. disse...

Sábio, o Seu Zé.
Que claro, tinha respeito por metros, trenas, lápis e esquadros. Estranhos utensílios para boa parte dos profissionais da área.

fernando cals disse...

Oi, Peri,
eu vejo isso como uma afirmação da tremenda pontaria dos caras.Rsrsrsrsrs!
E, também, uma confirmação de que existe muita gente aproveitando o inaproveitável.
Ou seria um prédio tombado? Tombando?
abs
fernando cals

peri s.c. disse...

Fernando, talvez faça parte da memória afetiva do proprietário, a única explicação razoável que me ocorre. Mas que é de uma execução muito interessante, é.

GUGA ALAYON disse...

essa foto me lembra muito o projeto que estou a executar na Vila Mariana. A área está dentro das restrições do condephat por ficar num raio de x metros do intituto biológico e a aprovação é um saco. Solução: manter a casca e fazer outra casa por dentro. Só não dava prra ser com um guindaste. Pena.

peri s.c. disse...

Ah, é ali em baixo ? Depois me passa o endereço prá dar uma olhada.
Com guindaste só essa aí, no campo. Mas acho que por aqui, pré-fabricar, mesmo parcialmente ia te trazer mais problemas que soluções. Prá dar certo só na Alemanha, mesmo assim gostaria de ver a história desta obra aí em detalhes, deve ter seus pepinos também.

Marcio Gaspar disse...

me parece uma boa idéia pra enganar ladrões e vendedores em geral. 'por fora, pão bolorento; por dentro, bela viola'- a inversão do ditado. gostei.

Eduardo P.L disse...

Gostei do post, do projeto, e do comentario do Marcio!

peri s.c. disse...

Marcio

Evitar além dos ladrões e vendedores, também os cobradores e principalmente ... o gerente do banco.
Ótima visão da questão, em rio que tem piranha jacaré nada de costas.

peri s.c. disse...

Eduardo
Vale a pena ver ( e comentar ! ) de novo.

Sibila disse...

Peri,
talvez fora de propósito, mas não foi a Portuguesa que construiu o estádio e esqueceu o trator dentro?
As arquiteturas mostradas nos posts anteriores servem pra compensar o mal (com)pensado. E o Jaguar pra esculhambar de vez (junto com você, claro).
Bjs.

estudio11 disse...

Otimo, adorei.
desde o projeto ate o comentario.


conheça nosso blog
http://estudio11.blogspot.com/

Patty Diphusa disse...

Nossa, marceneiros podem fazer isso assim, tão certinho? Só falta serem lindos, charmosos, cultos e mestres da guitarra. E os telefones, claro.

Bjs

anna disse...

vixe... imagina essa casa numa das encostas de santa catarina...

peri s.c. disse...

Sibila
Muitos juram que foi verdade, outros que não passa de uma lenda.
Por tudo que já presenciei em obras, creio que aconteceu.

Existem arquiteturas bem-pensadas e mal-pensadas. O pior é que as besteiras dos arquitetos ficam à mostra por décadas.
Nessas horas , como escreveu o Millor, melhor ser médico, esses enterram seus erros.

Admiro profundamente a esculhambação geral e irrestrita Jaguariana.

Sibila disse...

Pensando melhor: ó os cara, mano - mesmo que entrando com compensado, mais parece madeira de lei, compensariam.
Bjs de bom habite-se.

peri s.c. disse...

Sr(a)s Estúdio 11
Interessante o projeto e mais ainda a execução. Coisas de alemão.

Vou acompanhar o novo blog.Benvindos
ao mundo(?) blogueiro.

peri s.c. disse...

Patty
De repente, é bem capaz de serem lindos, charmosos, cultos e mestres de guitarra. E com aquelas mãos másculas e calejadas que só marceneiros tem, afe. Tente descobrir no link
da FNP.

bjs

peri s.c. disse...

Anna
Õ loco, sô ...que idéia.

Fernando Zanforlin disse...

Peri, bacana o trabalho, gostei.
Sobre mão de obra, sempre são os outros que não sabem, nos sabemos tudo. Saber escolher e orientar como as coisas dever ser feitas e como queremos é o primeiro passo.
Quando tinha construtora, dispensávamos todos os engenheiros que argumentavam, que as coisas deram erradas por o fulano ter feito errado.
Sempre dizia:
Quem está supervisando quem?
Eu estou, vc. e te orientei sobre como trabalhamos aqui, vc não serve para ser de nossa turma, não precisamos de pessoas que identifique os erros dos outros, precisamos de pessoas que ensinem os outros a não fazer erros.
Ƨs sem escala.

googalarq disse...

anna,solução perfeita para desmoronamento em encostas: um barraco de madeira cercada por muros de arrimo.

expressodalinha disse...

Espectacular!

Anônimo disse...

Peri,já te considerando meu amigo.Fugindo do assunto,não consegui entrar lá atrás(sem malícia),vide Germano Mathias e Osvaldinho da Cuíca,no youtube,em contra-posição ao "punhetinha" Vinícius,dizendo que S. Paulo é o túmulo do samba.
Vide Valter,na sequência.
Abraços paulistanos:
Günther.

valter ferraz disse...

Peri,
atualizando o comentário: não mudo uma vírgula. Os pedreiros assim como os marceneiros teimam em fazer fora esquadro. Vou mandar uns aí prá voce. Quem sabe aprendem?
Abraço forte

peri s.c. disse...

Günther
É recíproco.
SP tem lá seus grandes sambinhas, eh, eh.
Esse tal de "youtube' na verdade é uma meio decepcionante naquilo que interessa : grandes nomes para o Coreto Musical tem pálida representação naquela videoteca, Germano Mathias e sua latinha de engraxar sapatos é um deles, seria um dos que eu já teria postado. Pouca coisa á disposição.

abraços cosmopolitas.

peri s.c. disse...

Valter
Concordo seu comentário.
Esquadro é um exótico e incompreensível utensílio.
Não sabem usar as tradicionais traquitanas, imagine agora que elas estão modernas e tecnológicas, com o uso do laser.

Até meu estilista da colher de pedreiro e do fio de prumo, Edgar Du Guayanases ( que apresentei em post anterior na elaboração de minha " picolla forneria" ) já mereceu uns tapões virtuais na orelha, por faltas de prumos, desníveis, alinhamentos y otras cositas .
abração

peri s.c. disse...

Jorge
O antigo e o novo numa felicíssima ( e precisa)combinação.

anamoraes disse...

continuo adorando esse "projeto".
Bjs

peri s.c. disse...

Ana
minimalismos criativos

googler disse...

Although we have differences in culture, but do not want is that this view is the same and I like that!
age of conan power leveling