#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

1.3.07

Per Bacco !

Ali, no canto direito da foto desta bucólica paisagem de La Rioja, Espanha, uma colorida aparição. Definitivamente não é um carro alegórico da Mangueira abduzido da Marquês de Sapucaí.

Nesta cidadezinha, Elciego, fica a sede da Vinícola Marquês de Riscal. Esta vibrante forma é o novo hotel-spa da vinícola, mais um dos projetos de Frank Gehry, o arquiteto midiático atual, autor do badalado, mais pelas formas que pelo acervo, Museu Guggenheim de Bilbao . Os proprietários da vinícola, que atuam num mercado disputadíssimo, quiseram repetir a dose de impacto causada pelo Museu. Outros produtores espanhóis também chamaram conhecidos arquitetos para intervenções em suas instalações. Estenderam suas disputas nas prateleiras das lojas para os parreirais campestres.

Consta, e não explicam a razão, que Gehry tentou resistir ao convite para o trabalho. Mas foi convencido em um jantar, quando lhe ofereceram um raro vinho de 1929, ano de seu nascimento. Não foi efeito do vinho , seus projetos tem esse desconstrutivismo todo mesmo quando ele está sóbrio.


Tem 43 apartamentos e custou mimosos 9 milhões de euros . Diárias promocionais no início de operação de 300 a 1350 euros. Excursionistas, não se animem com a oferta, isso foi no ano passado . Arquitetos mochileiros curiosos e peregrinos sem bússola do caminho de Santiago tirem o cavalinho da chuva, é proibida a visita a não hóspedes. ( vide material completo ) .

Gehry, cuidadoso e preocupado com o impacto da obra no contexto urbano da pequena vila, para não macular o " skyline" original, definiu a altura de seu projeto 1 metro abaixo da torre da igreja. Não há registros de agradecimento do pároco local.


Uma questão contraditória : seus usuários obviamente lá vão para degustar incontáveis garrafas de preciosos vinhos. Ao olhar o edifício não se sentirão bêbados, logo ao chegar, antes do primeiro copo ?

Nem Bacco , no auge de seus devaneios etílicos, sonharia com estas formas, em um de seus domínios.


  • PS 1 - Algum coleguinha ( ô Alencastro ) tem idéia de quantos metros quadrados tem esse edifício ? Estou curioso para fazer uma certa continha .
  • PS 2 - Gehry pulou do cliente público para o privado . Ninguém segura mais o homem .
  • PS 3 - Aguardo ansioso o chamado de nossas vinícolas do Vale dos Vinhedos e arredores ( aceitáveis 2.000km de raio), animadas com o exemplo espanhol, mas preocupadas em prestigiar a arquitetura nacional.

21 comentários:

Lord Broken Pottery disse...

Pena... Estragou a paisagem!

GUGA ALAYON disse...

achei que quando ele bebia só projetasse Bradescos. bem quadradinhos

GUGA ALAYON disse...

pelo menos ele não definiu a altura do projeto 1 metro abaixo daquela cordilheira lá no fundo

peri s.c. disse...

Mas em grande estilo, Lord, em grande estilo.

peri s.c. disse...

Guga
1. ah, ah ! ótima ! tem lógica. será que ele não faz isso, nas horas vagas e escondido, para relaxar ?
2. aplainar a cordilheira, um ruído na paisagem é o próximo passo, estão estudando os custos .

anamoraes disse...

achei bem doido, mas me lembrou os lacres de metal dos vinhos..

peri s.c. disse...

As cores metálicas foram inspiradas nas nuances das cores dos vinhos, como os lacres também são .

Alencastro disse...

Oi Peri: o prédio (será que posso chamar assim?) tem 6 mil metros quadrados. Ou seja, custou 3600 reais o metro quadrado. Posso te dizer que as obras de alguns arquitetos por aqui também custam isso. Só que não parece!

peri s.c. disse...

Alencastro, digamos que pode chamar de prédio, sim. Mas a conta dá um pouco mais , uns 4.500 reais/m2. Imaginava um custo muito maior, em função dos titãnios e etc.
Estou começando a achar que as construtoras tupiniquins praticam preços norte-americanos nas composições de custos, europeus na hora da venda e africanos na hora de pagar os prestadores de serviços....

anna disse...

peri's, achei eslanho demais! parece que o hotel foi atropelado pela nave mãe.

franka disse...

ele deve ter recebido os honorários em vinho.
hahaha.
se eu beber muito meus posts ficam tudo assim.

peri s.c. disse...

Anna, é estranho e essa estranheza é que vai atrair o selecionado público-alvo dos herdeiros Riscal.

peri s.c. disse...

Franka, tome várias e vá escrever seus posts. Você inaugurará o primeiro blog desconstrutivista.

valter ferraz disse...

Peri, ficou quase um estranho no ninho. Desculpe a piada, mas esses arquitetos, sei não. São melhores fazendo post. Ou bebendo vinho.
Abraço

peri s.c. disse...

Walter , não demora vamos ter por aqui alguma uma cópia mal-feita desta solução. Mas o cara é bom, mesmo com um monte de poréns que podem, e devem, ser levantados.

valter ferraz disse...

Peri, dando uma olhada no perplexo reparei que o link do Armazém sumiu. Vou recolocar, tá?
Abraço

peri s.c. disse...

Walter , obrigado, você já vai entrar aqui do lado também.Abraço

fernando cals disse...

Oi, Peri,
desfazer da categoria do Frank, bobagem.
Mas, com toda sinceridade, esa obra atropelou a paisagem.
O que fico a imaginar é esse cara, vários outros desconstrutivistas, vai!, dando início aos seus projetos. Constroem, pra poder entender? Depois desconstroem, pra ninguém entender?
Entendeu?
abs
fernando cals

peri s.c. disse...

Fernando entendi tudinho! excelente comentário. Abs

Eduardo P.L. disse...

Peri, muito bom o seu blog. Esta postagem, e comentários da patota, idem.Forte abraço e boa Páscoa!

Fernando Zanforlin disse...

Peri, vim tomar um cálice de vinho, mas êsse não é o meu paladar.
Às vezes uma sangria gelada com vinho de São Roque e um sanduba de queijo mineiro na chapa é mais gostoso.( o pão pode ser no francês, mesmo)
ab.