#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

13.1.11

Um giro muito giro - 3


ok, chega de divagações, vamos à reportagem


Dia 25, Natal, meio-dia, o aeroporto de Lisboa,
semi-deserto, molhado, gelado .



Uma das vantagens de ir a Portugal é poder viajar em português.
Com algum domínio da língua local tentei então iniciar meu primeiro amigável
contato com seus habitantes através de uma animada conversa com o taxista .

O gajo era esquisitão, respondia com uns grunhidos ininteligíveis .
Péssimo começo midiático.
Mas foi o único esquisitão que encontramos .

No nosso primeiro ataque à malha urbana o que vimos foi uma cidade
deserta, molhada e gelada .



Casal de nativos sul-americanos perscrutando o Rato,
deserto, molhado, gelado .


Feito o primeiro reconhecimento do terreno, enfurnamo-nos no hotel para
tomar nosso primeiro caldo ( ôba, comida ), um vinho e apreciar a árvore de natal azulada no lobby
deserto, seco e quentinho,


photos by P. S. C. and P.S.Cjr


11 comentários:

Silvares disse...

O dia de Natal costuma ser assim mesmo "deserto, seco, gelado". Tenho o hábito de ficar em casa com a família. Uma pequena multidão em ambiente aquecido e bem regado com vinhos agradáveis e histórias intermináveis. O frio não perdoa e nós não perdoamos ao frio. Aquecemo-nos.
:-)

João Menéres disse...

Ao menos, esse casal de sul-americanos terá tentado a sua sorte no Euromilhões, já que estava ali à mão ?
Tavira vos espera...
( A Reni sabe do que falo ! ).

Os taxistas do Aeroporto de Lisboa têm fama de falta de simpatia!
Devem gostar de levar os de fora até Cimbra ou até ao Algarve...


Paciência, Peri...

peri s.c. disse...

Silvares

Creio que toda a população ( exceto o recepcionista, o barman e a camareira brasileira do hotel ) estava escondida em casa com a família, aquecidos.

peri s.c. disse...

João

Reni tentou. E ganhou. Mas apenas 15 euros . Ainda há um bilhete a ser conferido . Quem sabe esse não abra os caminhos para Tavira ?

Esse taxista passou das medidas . Contei essa história para um outro que nos trouxe da região da Expo para a Baixa. Esse era divertidíssimo, rimos muito com suas histórias o trajeto todo . Ele comentou sobre seu colega grunhidor, quando soube o valor cobrado pelo trajeto : " pouco falava, mas pelo menos levou direitinho pelo menor caminho vocês para o hotel " ah, ah.

jugioli disse...

Muito giro!!!!

bjs

peri s.c. disse...

Ju
O mundo gira, a Lusitana roda e nós giramos e giramos em Portugal .

bjs

expressodalinha disse...

E giraram bem. O frio era suave. A humidade muita. Natal não perdoa.

Li disse...

E o "Pai Natal" perdoa?
;)

peri s.c. disse...

Jorge
Giramos mesmo. O frio não incomodou .
Aqui também não perdoa, calorão e temporais .

Off the post : curiosa nossa língua portuguesa . Me refiro à palavra " Humidade" - que você usosu - ou "umidade" . Antes de escrevê-la em algum lugar nessa série fui consultar qual a grafia correta, eh, eh, as duas formas são válidas, usa-se mais aí com o H , aqui sem, vai entender.

peri s.c. disse...

Li
O Pai Natal só não perdoa criança malcriada e desobediente, ah, ah.

roserouge disse...

Férias são férias! Ainda bem que vieram prevenidos!