#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

3.12.10

A mais fina tecnologia versus a realidade.




Pela janela da sala de aulas vejo ali na frente do Hotel Unique uma presença estranha :
um Fórmula 1, campeão do ano, largado na calçada .



Seguramente uma " ação de marketing " ( hiiiirrrrrc ).

O carro ficou ali na calçada durante três dias, como se tivesse sido descuidadamente estacionado, sem nenhuma cerquinha o protegendo, só com um segurança por perto.



Interessante examinar os detalhes desses carros, que são uma verdadeira obra de arte mecânica que utiliza das mais exóticas tecnologias existentes. Além de desenvolver outras.

Mas, mesmo com tanta sofisticação, não tem duas coisinhas banais que nós pobres mortais utilizamos muito : marcha à ré e freio de mão.

Como segurar na calçada inclinada esse bicho que custa uns U$$ 2 milhões
e costuma descansar em locais com o piso milimetricamente nivelado ?




Improvisaram uma solução que custa menos que 10 centavos .

Uma banal pedrinha de mosaico português tirada do belo e "brutalista" paisagismo do Hotel.


ah, ah, ah

8 comentários:

Eduardo P.L disse...

Ótimo post! Muita observação, e humor!

fz disse...

Aaaaaaaaaah,Peri, essa pedrinha só pode ser coisa de arquiteto, sabe como é...politicamente correto, meio ambiente etc.Com certeza ela estava prescrita no memorial descritivo do projeto.
Abs.

peri s.c. disse...

Edu

Só reparei na pedrinha depois, vendo as fotos, eh, he.

peri s.c. disse...

Fz
qunado tiraram a pedrinha depredaram o inusitadamente brutalista e belo paisagismo do Gilberto Elkis .

WJ disse...

...no meio do caminho tinha uma pedra tinha uma pedra no meio do caminho...

Uma pergunta/duvida, choveu nestes dias de exposição ?

Voce verificou por onde sai a agua do cockpit, em dias de chuva ???
Tem um furinho tecnologico de milhões de USS em baixo do banco ?

Lina Faria disse...

Hehehee...
Olhos de arquiteto.
Adoooro.

peri s.c. disse...

WJ

A encardida pedra no caminho se chamava Alonso...

Choveu prá dedéu . Pensei nisso . Assim como os engenheiros que devem ter colocado um furinho aerodinâmico para escoar a água .

Por falar em aerodinâmica, examinar de perto esses carros é intrigante, pricipalmente se você começar a prestar atenção na infinidade de penduricalhos aerodinâmicos, nos lugares mais improvàveis e com as formas mais estranhas e ilógicas.
E como aerodinâmica não é uma ciência exata, mas, no limite, experimental,desenvolvida em túneis de vento, dá o que pensar como os caras bolam aquelas coisas.

peri s.c. disse...

Lina,

Pois é .
Mas mais admiráveis são os olhos dos grandes fotógrafos, como você.