#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

20.4.10

Brasília em gestação - 3



Primeira pilastra do Palácio do Planalto


Foto do grande Walter Firmo

Já publiquei aqui faz algum tempo. Vale a pena rever. Niemeyer deve ter pedido para desformar o pilar, antes da concretagem dos outros. E ficou um tempão olhando de várias posições, para ver se acertou no desenho.

E chega de Brasília e seus 50 anos .
A arquitetura oficial é bonita, mas tem abrigado em seus agora 50 anos de vida uns povinhos da pior espécie.

16 comentários:

valter ferraz disse...

Peri,
e sabe de uma coisa ninguém acusa Brasilia de ser uma cidade elitista, logo ela que foi pensada e construída para abrigar o poder. É uma cidade inacessível para o comum dos mortais. Alí só se desloca em veículos oficiais ou nos caríssimo taxis. Tudo é longe, impossível de se chegar à pé. A não ser o conjunto de monumentos, esses mesmos que vc mostra aqui em gestação.
Bom, não vou levar a bola para discussões inócuas. Vai mudar nada e nem a cidade vai sair do lugar, não é mesmo?
Ah! voltando para a minha especialidade: o ar de Brasília é irrespirável não só pelo cheiro da corrupção, mas também a quase nenhuma umidade relativa.

hélio disse...

Peri,
Creio que decidi ser arquiteto quando, com dez anos de idade, fiquei sob a estrutura de concreto inacabada da catedral de Brasilia, sem vidros, sem piso, só ela ali inerte, cinza, imensa para meus pequenos olhos. Nunca tinha visto nada igual. Desbundante!
Os moradores adoram a cidade...
Sobre os inoperantes politicos... bem deixa prá lá.

anna disse...

cidade maluca essa. conheço gente que se mudou prá lá por causa de trampo. e todas adoram.

quanto aqueles de cabelo acaju e terno, assino em baixo da proposta da rita lee. tranca todo mundo lá dentro do prédio, com todo seu staff, sem celular, sem internet ou telefone, a pão e água. e a gente daqui, numa padoca, num bar ou no recanto do lar ficaríamos só observando a antropagia.

Anônimo disse...

Peri,

não me canso de invocar o Billy Blanco: "o que dá pra rir, dá pra chorar" etc.
É óbvio e repetitivo, mas vale insistir, sobretudo quando se evoca Brasília, paraíso e inferno, tudo misturado no mesmo concreto.

Beijo

Vivina.

peri s.c. disse...

Valter
Uma cidade que vive das bojudas, perenes e generosíssimas tetas governamentais . Tudo é alegria. Aliás , cada vez mais alegrias, com o cabidão de empregos cada vez maior e com os salários cada vez maiores, fora os, dizem, " por fora".

peri s.c. disse...

Helio

Estive lá numa viagem pelo tempo : fomos conhecer as velhas arquiteturas das cidades históricas mineiras e as modernas arquiteturas da capital . E claro, seus urbanismos.
mas sem grande tempo de sacar suas urbanidades.
Muito educativo esse choque de conceitos e desenhos. Daí meu apreço por um certo "mix" de soluções !

peri s.c. disse...

Anna
Lá os trampos, no sentido amplo da palavra, rolam soltos.

Quem usa terno é " sério", ah, ah .

peri s.c. disse...

Vivina

Bela imagem : paraíso ( muito ) e inferno ( pouco ), tudo misturado no mesmo concreto.

Para nós sobra o purgatório.

bj

Eduardo P.L disse...

Peri,

desformar um novo pilar, e uma forma inovadora é sempre uma emoção! É como abrir o forno de queima de cerâmica! Sempre uma nova surpresa!
Brasília saiu das pranchetas do Niemeyer para espantar o mundo, por mais de 50 anos! Pela arquitetura e por todo o resto ( resto na mais ampla e profunda acepção da palavra).

peri s.c. disse...

Eduardo
Pelo menos duas coisas incomodam (assustam) arquitetos, por melhores e mais vividos que sejam :
- a folha em branco à espera dos primeiros croquis de um novo projeto
- a angústia de ver o resultado do que foi desenhado
E uma coisa irrita :
- clientes obtusos ( uns 90% do total )

O cliente do Oscar em Brasília era ótimo, deixou-o à vontade, melhor que isso, incentivou-o.
Sobraram os dois primeiros ítens .
Nada mais natural então que pedir : " dá uma desformadinha aí, prá gente ver como é que ficou "

Marcio Gaspar disse...

Brasília é mesmo uma coisa muito estranha... sempre que vou lá (ainda bem que não vou muito), me sinto meio oprimido, meio vazio, meio esquisito....

peri s.c. disse...

Marcio
Previsíveis estas sensações, afinal não somos farinha daquele saco...

Silvares disse...

Vi ontem no jornal uma imagem do projecto do velho Oscar para o Museu de Arte Contemporânea na cidade de Ponta Delgada na ilha dos Açores. O homem ainda arquitecta? Ou os projectos são desenhados pela neta do mestre, como já vi por aí sugerido?

peri s.c. disse...

Silvares
103 anos de idade e vivíssimo, arquitetando.
Ainda projeta, pelo menos a concepção e os croquis/configurações principais das obras.
Até o ano passado ainda bebia e fumava. Casou de novo há 2 anos atrás.
E as quintas-feiras à noite tem aulas de assunto que lhe interessa : astrofísica, com um físico.

Silvares disse...

Ok. Com essas aulas deve estar a preparar a grande viagem que um dia terá de fazer...

:-)

peri s.c. disse...

Silvares
Só vai continuar, em outro plano ( curvo, mais adequado à sua arquitetura ) a viagem quem tem sido sua vida.