#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

14.4.10

Brasília, em gestação - 1


" Em 1958, o fotógrafo franco-brasileiro, Marcel Gautherot foi convidado por Oscar Niemeyer para registrar a construção de Brasília. Por dois anos Gautherot fotografou as obras da cidade, que se tornaria um marco da arquitetura e do urbanismo modernista, inaugurada em 1960.

As imagens que seguem é parte integrante do livro Brasília, editado pelo Instituto Moreira Salles. A obra será lançada no dia 29 de abril no IMS, situado na Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, no Rio de Janeiro. O evento terá início às 19h e, paralelamente, uma exposição com as fotos entrará em cartaz.

Marcel Gautherot nasceu em Paris em 14 de junho de 1910. Fixou residência no Brasil em 1940. Apaixonado pelo país, fotografou a cultura e as paisagens do Brasil ao longo de toda a sua vida. Morreu em 8 de outubro de 1996, no Rio de Janeiro. O acervo de mais de 25 mil fotos, hoje integram o acervo do Instituto Moreira Salles. " *



Lembram do slogan da época ? " Brasília, capital da esperança " ....


* Fotos e texto do blog do Estadão : " Olhar sobre o mundo "

PS :

1. Oscar Niemeyer soube escolher o fotógrafo .

24 comentários:

Eduardo P.L disse...

Mesmo tendo perdido a ESPERANÇA, com um Governador na cadeia, BRASÍLIA ao completar 50 anos, vai tomando cara e alma de cidade brasileira!

Fernando Zanforlin disse...

Só essa foto já vale a menção, superlegal.Abs.

Lina Faria disse...

Esse Marcel Gautherot é do balacobaco!
Demorou pra editarem um livro.
Brasilia aos 50 ganhou uma identidade hibrida um pouco longe do cen´rio proposto pelo mestre Niemeyer. "selavi"...

claudio boczon disse...

pô, eu também ia utilizar "balacobaco" para externar uma das mil palavras que vale a primeira fotografia...

...mas a Lina sacou antes que o Blau-blau aqui...

...selaví

Anônimo disse...

Peri,

essas fotos comovem até um leigo, feito eu.
Imagino vocês, "do ramo".

Beijo

Vivina.

peri s.c. disse...

Edu
Sem dúvida em Brasília hoje está o melhor retrato do que se tornou nossa sociedade .

peri s.c. disse...

Fernando,
Luzes que já não existem mais por lá, creio.
abraço.

peri s.c. disse...

Lina e Boczon
do balacobaco, mesmo. E bpõe balacobaco nisso.

peri s.c. disse...

Vivina
Se estas fotos te comoveram, você também é "do ramo" .

beijo

Selena Sartorelo disse...

Olá Peri,

Maravilhosa postagem que elogia e enaltece a obra desse arquiteto e o olhar desse fotógrafo.
O slogam? Desculpe, acho que ninguém mais lembra dele. Mas a lembrança é sempre bem vinda.

Beijos

peri s.c. disse...

Obrigado, Selena.

Sobre o slogan, eh, eh, facílimo enrolar o povo.

bjs

valter ferraz disse...

Peri,
o Oscar N. antes de arquiteto é um sonhador (e dos bons, claro).
Ainda acho que arquitetos e fotógrafos são da mesma espécie. Simbiose perfeita.
Para leigos como eu e Vivina, só pode mesmo emocionar.
As obras e os monumentos do nosso centenário arquiteto para assemelham-e a esculturas (que eu adoro). Olhando o côncavo e o convexo dessa foto de baixo não tem como não pensar mas pirâmides do Egito.

peri s.c. disse...

Valter

ON, um sonhador que conseguiu realizar seus sonhos e que desperta profunda inveja em seus coleguinhas que não sonham.
Tudo o que fez/faz é bom ? Não.

De fato, fotógrafos, arquitetos e outras raças das artes ten uma genética comum.

Quanto à semnelhança com o Egito, nossos governantes me lembram múmias faraônicas, paradas para sempre no tempo. Modernidades assustam.

abç

expressodalinha disse...

Se continua a ser da esperança ou não não sei, masa as fotos são óptimas.

Ery Roberto Correa disse...

Negando-me a dizer qualquer coisa sobre a cidade de Brasília, atenho-me a dois comentários exclusivos sobre as fotos, eis que são registros magistrais.

A primeira é de uma leveza sem par, uma obra prima do autor. A segunda, que também gostei tanto ou até mais do que a outra, traduz em seu contorno a figura de uma enorme tartaruga que se arrasta.

Precisa dizer mais?

peri s.c. disse...

Jorge
Com o que acontece em Brasilia , debaixo e acima dos panos, nós perdemos a esperança .

peri s.c. disse...

Ery

São fotos magníficas. Particularmente a primeira, quase etérea .

abç

anna disse...

meu pai quando jovem, adorava viajar pelo brasil com a família.
nessas andanças de kombi, porque nem sempre tinha hotel pelo caminho, viajei pelo brasil numa aventura.
lembro de estradas de areia, boiada passando na frente, carro atolado.
numa dessas, da qual não me lembro, contam que minha mãe me deu banho numa torneira na praça do três poderes.

sim, eu estive lá.

ah... se soubesse no que ia dar, bem que poderia ter feito alguma coisa do tipo... bebê bomba.

peri s.c. disse...

Anna

Você desbravou os sertões .
Bebê-bomba ? Hoje seria necessário um berçário-bomba ...

GUGA ALAYON disse...

"1. Oscar Niemeyer soube escolher o fotógrafo . "
.
.

-o contrário tb é válido:

1². o fotógrafo soube escolher Oscar Niemeyer .

Sua obra é mais fotogênica do que qq outra coisa. Até mesmo qq qualidade arquitetônica intrínseca.

GUGA ALAYON disse...

Seria legal fotos das suicidades 'satélites' atuais para contrapor sonho x realidade
abç

Allan Robert P. J. disse...

50 anos?
A cidade mudou muito, alargou-se, adquiriu os mesmos problemas de qualquer cidade grande no Brasil, mesclou-se às cidades satélites e já não é mais "A cidade da esperança". Brasília é uma grande cidade brasileira, com seus defeitos. Mas muito, muito bonita.

PS - Vira e mexe tem propaganda europeia rodada em Brasília.

peri s.c. disse...

Guga

1. Il vecchio Oscar sempre provoca ótimas discussões. Mas tirando nossos " astros" esportivos ele é o brasileiro mais conhecido, e reconhecido, no mundo .

Você não moraria na casa dele, a de Canoas ?

2. Os projetos, quando saem das pranchetas ( computadores ) ganham vida própria, sempre para pior.
Nem um bom projeto de uma pequena casa resiste a um "puxadinho".

peri s.c. disse...

Allan

Pelo menos a porção bem projetada de Brasília continua bela. Um símbolo das esperanças desfeitas .
Quanto às propagandas, ela ainda é fotogênica.

abç