#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

9.7.09

Finas arquiteturas - 1

" Founded by a loose-knit group of architects at the end of the 1950s, the Metabolist movement sought to create flexible urban models for a rapidly changing society. Floating cities. Cities inspired by oil platforms. Buildings that resembled strands of DNA. Such proposals reflected Japan’s transformation from a rural to a modern society. But they also reflected more universal trends, like social dislocation and the fragmentation of the traditional family, influencing generations of architects from London to Moscow. " ( Nicolau Ouroussoff / The NY Times / 06/07/09 )



Um dos primeiros projetos e talvez o mais metabólicamente famoso edifício do movimento foi o Nakagin Capsule Tower, construído em 1972. Um hotel onde os 140 mini-quartos eram pequenos cubos justapostos espacialmente, como num joguinho de armar.



O conceito capsule-hotel, hoje levado no Japão às últimas consequências, aqui tinha células até generosas e completas. E com vista para a cidade.




Pena que o edifício sofreu um sério distúrbio em seu metabolismo : o concreto sofreu a ação do tempo e as tubulações internas deterioram-se a tal ponto que hoje é mais barato derrubá-lo que reformá-lo. Até no "primeiro mundo" a manuteção é precária.
Um símbolo que vai para o chão.




Notas :
1. Essa notícia não é nova, demolições no Japão devem ser um processo meio zen, portanto lento.
2. Curiosamente, existem dúvidas sobre sua destinação original, se hotel, se habitação, conforme a fonte consultada.

3. Para quem se interessa pelo tema , esta postagem poderia fazer parte da série " Arquitetura e design de pequenos espaços" que levei ao "ar"no começo do ano, acho, e que tem outros exemplos muito interessantes. Outro post que tem um belo exemplo de projeto dentro desse conceito é o que trata do Habitat 67, em Montreal e publicado aqui em 10/09/07

8 comentários:

Eduardo P.L disse...

Nosso futuro é minimalista!

peri s.c. disse...

Sentados numa SUV ! ah, ah.

anna disse...

coisa mais claustrofóbica!

peri s.c. disse...

Anna

1. Claustrofóbico é o metrô de SP, ali pelas 18:30/19:00 , dentro do túnel, quando dá aquelas paradas inesperadas.

2. Vai se preparando, um dia chegamos lá.

Marcio Gaspar disse...

tb achei claustrofóbico. e por falar nisso, sugiro um post sobre os dormitorios-gavetas, tipo IML, de toquio. aquilo sim é claustrofobia, filme de terror!

peri s.c. disse...

Marcio
Já fiz esse post , na série " arquitetura e design de pequenos espaços ".
Consta que no Japão, a rapaziada trabalha muito, depois saem em grupo dos escritórios para encherem o caco, ficam tão bebuns que não conseguem voltar para casa, então vão dormir nesses hotéis-gaveta.
Aqui já temos a rede Formula 1 ( tão apertadinho como um cockpit de F1 ) , que está perto disso, e é um sucesso junto aos que vem à trabalho para SP, e não são funcionários de empresas grandes com régias diárias.
Dormem no Hotel Formula 1 e depois vão gandaiar no Café Photo 3x4, ah, ah

Ery Roberto Correa disse...

Peri, eu não ficaria dentro de um "trem" desses nem para uma conversa de 5 minutos. Sofro diariamente com as minhas quatro "viagens" obrigatórias (no mínimo) de elevador no trabalho.

Será que existe nome para uma fobia que é um misto de lugares pequenos e altura?

Off tópic: Li seu comentário no Jayme e penso que na resposta ele abordou uma questão muito importante sobre a dificuldade de se classificar blogs, no caso da futura aplicação da lei.

Abraço.

peri s.c. disse...

Ery
Claustroaéreofobia.
Relaxe, a vida é uma sucessão de fobias. Todos temos algumas.

Off-topic : vamos acompanhar o desenvolvimento do caso, ainda acho que é uma daquelas leis inaplicáveis no caso dos blogs, exceto em blogs jornaçísticos com enorme quantidade de acessos.