#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

17.3.09

O desejo continua

Vamos curar com mais "desejo" a ressaca provocada pelo porre mamário do post anterior, onde vimos a arte de hoje : as habilidades de um fotógrafo com o Photoshop, elaborada calmamente em um computador e com uma boa musiquinha de fundo.

Para depurar a visão, a mente e a sensibilidade, nada como admirar uma das obras clássicas da arte, da época em que artistas suavam sangue e comiam o pão que o diabo amassou para alegrar papas e cardeais.
E mergulhavam em suas obras com martelos, cinzéis, muito pó e infinitas horas de trabalho .


O Rapto de Proserpina pelo deus Plutão, de Bernini

De onde vem a capacidade que permite um homem transformar um bloco de mármore nessa inacreditável e tensa delicadeza ? É espantoso.




"O Rapto de Proserpina é uma escultura de Gian Lorenzo Bernini ( 1598-1680 ) , considerado um dos maiores artistas do século XVII ( NR : considerado ? ele foi ! ) , tendo seu trabalho quase todo centrado na cidade de Roma.

O mito romano do rapto de Proserpina por Plutão é uma lenda que também aparece na cultura grega, onde Plutão se chama Hades e Proserpina é Perséfone, filha da deusa das colheitas Deméter, que encantou o obscuro deus com sua beleza. Ela é então raptada e levada para as profundezas da Terra, deixando sua mãe enfurecida. O rapto fez com que Deméter castigasse o mundo, arrasando com as plantações, entregando o mundo ao caos e à fome. Conta-se que Perséfone não podia comer nada que lhe fosse oferecido ou ela nunca mais voltaria para casa. Enquanto Zeus tentava convencer Plutão a liberar a moça, Perséfone comeu algumas sementes de romã, selando o seu destino. Assim, ela se viu obrigada a casar com Plutão, o que deixou Deméter ainda mais furiosa.

Zeus teria então interferido. Perséfone passaria metade do ano com o marido e a outra metade com a mãe. Dessa maneira, Deméter aceitou e assim os gregos explicavam as épocas do ano. Quando era verão e primavera, sua filha estava ao seu lado. No inverno e no outono, épocas frias, sem colheitas, Perséfone estava com o marido.

A obra encontra-se na Galleria Borghese, em Roma."

34 comentários:

Selena Sartorelo disse...

Depois de todas aquelas tetas!!!!Socorro!!!!!
Realment quem sabe faz ao vivo e é sublime esse choque que levei.

Quanto a obra,não atrevo-me a falar, apenas sentir.

beijos e obrigada pelo balsamo.

Eduardo P.L disse...

Peri,

não se faz mais gênios como antigamente!
A arte mudou. E ainda bem!
Imaginou se TODOS fossem Bernini`s???

peri s.c. disse...

Selena
Depois de todas aquelas tetas homenageio o mulheril que frequenta estas paragens, com esse magnífico Plutão.
Escultural na acepção da palavra.
bjs

peri s.c. disse...

Eduardo
Interessante a altíssima concentração de gênios naquele período.

Ainda bem que a arte muda !
Você conhece aquela finíssima definição, sei lá de quem : " artista é aquele que, quando todos chegam, já foi embora ? "

Mas que eu gostaria de ter um Bernini, no P.S.C. Museum of Fine Arts, gostaria. Podia ser pequenininho, mas gostaria, ah, ah.

GUGA ALAYON disse...

plutão já era.
Insensíveis!

Marcio Gaspar disse...

uma obra verdadeiramente espetacular, inspiradora e transcendental!

Anônimo disse...

Peri:

Bernini é espantoso.
Na escultura "O Êxtase de Santa Tereza(de Ávila)",na igreja Santa Maria Della Vittoria,em Roma,há o detalhe da cabeça da Santa reclinada para trás.Quando uma pessôa desfalece ,nesta posição,os músculos da nuca descontraem-se e o queixo se projeta um pouco para frente.O cara esculpiu isso!
Descobri o detalhe quando ví e depois desenhei a cabêça da Santa,com uma lapiseira calibre 0,3 mm,para uma exposição.
Bernini além de escultor é(foi?) pintor e arquiteto.Gênio.

Abraços

Günther.

Anônimo disse...

Peri,

te juro: quando vi a primeira imagem, tive certeza de que Bernini havia criado uma figura perfeita de homem, independente do rapto.
Músculos, nariz, olhos, cabeça, braços, pernas, tudo tão proporcional que não há como não notar e/ou registrar.
Depois, lendo sua resposta à Selena, não pude deixar de rir. Caí na armadilha do "magnífico Plutão"!

Na segunda imagem, pés no chão, longe do/dos deus/deuses, veio o encantamento com a obra toda, que você definiu muito bem; "de inacreditável e tensa delicadeza".

Este poste fez/faz bem aos olhos e à alma, ou aos olhos da alma, sei lá.

Beijo maravilhado

Vivina.

peri s.c. disse...

Guga
O outro já era, aquele que vive em órbita mas só aparece em horóscopo. Esse tá firme e forte, carregando a gata nas costas.

peris s.c. disse...

Marcio
Um arraso escultórico.

peri s.c. disse...

Günther

O " Êxtase de Santa Tereza" acho que é um espanto até maior.
Esses caras iam a fundo na sua profissão, estudavam cuidadosamente anatomia, vide na segunada foto, a do detalhe, as nuances musculares/arteriais das mãos. Impressionante.
Desenho com 0.3? Madonna Mia!
Cadê teus desenhos ? Sabedor de tuas habilidades por fontes seguras ( Anna ) já procurei na net e, nicas ...

abraços

peri s.c. disse...

Vivina
Obrigado.
Esse post foi um contraponto necessário à imagem porco-chauvinista-edipiana usada no post anterior. Vocês mulheres merecem uma visão destas.
Confesso : essas esculturas me emocionam mais que pinturas. Pelo resultado e pelo trabalho insano para produzi-las.

beijo

Patty Diphusa disse...

E que Plutão.

Isso me lembrou a deliciosa tarde que passei admirando Netuno, em Firenze. E olha que era a terra de David, meio blazé demais.

bjs

peri s.c. disse...

Patty
Plutãonaço.

Simplemente estar na Piazza della Segnoria, à tarde já é uma glória.
E uma delícia.

Acho compreensível sua admiração, aquele Netuno remete aos velhos lobos do mar, marinheiros curtidos pelos sóis equatoriais e pelas tormentas austrais, e que provocam devaneios na alma feminina.

expressodalinha disse...

Absolutamente divinal. Estive lá e vi!!!

roserouge disse...

Aquele pormenor ali da foto em baixo está demais! Aqueles gajos eram muita bons! Uns gandas artistas!

peri s.c. disse...

Jorge
O artista num momento sublime de criação realizada

peri s.c. disse...

RR
Aquilo extrapolou da condição de " pormenor", é um " pormaior".

erupção_do_ser disse...

à custa dos desejos (necessidades superiores) dos papas e CARDEAIS... os artistas nasceram numa época em que a perfeição corporal atingia o extremo, em poses, semi-nús...
O domínio da técnica do photoshop do Peri aproximou-se do Bernini... será que ele estava aí... ao seu lado ouvindo a musiquinha!!!uhmm
Apetece-me "tocar"... tanta beleza

anna disse...

maravilhoso mesmo trazer leveza e volume numa pedra bruta né?

o filme camille clodel, que teve um caso com rodin é demais pois mostra os dois esculpindo.

Anônimo disse...

Peri:

Aos que só olham a obra de arte,consumindo-a superficialmente em seu resultado,sem perceber o árduo processo de elaboração,Michelangelo disse que a escultura já estava dentro do bloco de mármore,êle apenas tirou o excesso.
Num resumo mais popular,todos sabem das pinga que se toma,mas não sabem dos tombo que se leva.
Te devo um livro meu(com desenhos).

Abração

Günther.

peri s.c. disse...

Erupção
Hoje parece curioso, mas na época talvez não, os padrecos curtiam às pampas.

A foto que usei não foi photoshopada por mim, mas por seu autor, o Phillip Toledano. Eu a tinha guardada faz muito tempo, só esperando uma chance de usar. Encontrei num blog muito, muito bom, um dos melhores que conheço, o Letteri Café ( link aí nos favoritos ).
O Eduardo publicou no Varal de Idéias uns 20 dias atrás uma série de fotos do Phillip, e curiosamente, não essa.

peri s.c. disse...

Anna
O comentário do Günther explica ... com a frase do Michelangelo.

Outro filme interessante é Agonia e Êxtase, onde Charlton heston interpetra Michelângelo e seus conflitos com o Papa enquanto pintava a Capela Sistina.

peri s.c. disse...

Günther
Ótima sua lembrança da frase de Michelângelo. Sobre ela meu próximo post, já tinha um material guardado.

E ótima essa nossa frase popular, que meu pai usava muito.

Aguardo o livro, estou curioso.
abraços

Anônimo disse...

Peri:

...E por falar em nisso tudo,refleti sôbre o reverso da moeda.A ignorância.

Quando eu era garotão,ouvi de uma senhora,sôbre um filme,a seguinte análise:
-"Porcaria de filme;um velho viado que fica o tempo todo olhando para um menino".
Era "Morte em Veneza"!

Pensei.Se ela visse essa escultura diria:
-"Um velho tarado apertando a mão na côxa da mulher".

Um amigo meu(hoje filósofo),à época do comentário da senhora,"Morte em Veneza",disse:
_"O macaco quando olha no espêlho vê um macaco,o porco,um porco".
Aí me lembrei de Jesus Cristo(adoro seu legado humano)...Pérolas aos porcos...

Abraços cogitáveis

Günther.

peri s.c. disse...

Günther

O pior é que hoje ( penso que sempre ) os porcos* predominam.

abraços




* NR : não me refiro aos apreciadores daquela associação futebolística do Parque Antártica

pecus disse...

Séculos apertando a Proserpina.

peri s.c. disse...

Pecus
Caráter forte ou cabeça dura.

erupção_do_ser disse...

Peri,

Tinha desafiado o Eduardo para a Parte II do desejo, o peri brindou-nos com a continuação... eu nao resiti... aprecie a [parteII] no meu blogue... encontramo-nos lá,
Um abraço

Selena Sartorelo disse...

Sem ousar responder a pergunta que faz sobre o inacreditável e a tensa delicadeza, volto para apreciar o imortal.
Um desejo que se realizou.

abraços,
Selena

peri s.c. disse...

Eruptiva
vamos lá ver e palpitar

peri s.c. disse...

Selena
Sempre ouse.
Volte sempre para olhar esse colírio plutônico. Só não sei se ele era charmoso ao vivo.

ellen disse...

sinceramente que eu diria que é real esta ultima imagem... muito bem feita!
... nunca vi nehuma igual nas artes, a não ser as de cera no museu de londres que não se equivale a esta em rigor.

Parabéns ao seu autor.

peri s.c. disse...

Ellen
É real. Mas uma realidade que só os gênios da raça podem produzir.