#Header1 { display:none; } #header-wrapper { display:none; }

2.2.08

Evoé Momo - Repinicam os tamborins, e os repiniques também - 1

1. Reporter da Globo barrada no galpão da Gaviões por alguns elementos da " comunidade ". Tudo porque o bloco de anotações que ela tinha na mão .... era todinho verde!
( Para quem não é de São Paulo, a Gaviões é de uma das torcidas uniformizadas do Corinthians, que não suportam os palmeirenses, e vice-versa, sendo o vice-versa entre todas as torcidas, deu prá entender ? )
Bem , cismar com a cor, e ainda mais com a verde no carnaval, é o fim dos tempos, nessa balada a Gaviões nunca vai poder fazer enredo exaltando a beleza de nossas matas, a grandeza da Amazônia, o encanto do Pantanal.
Ah, ah, ah.

2. O carro da Vila Maria, conforme o post ali embaixo, tinha os 130 e tantos metros mesmo. E o diretor com quem conversei , tinha razão, vieram para arrebentar, ela fez um lindo desfile, levantou o sambódromo.

3. Do ano passado prá cá, o triplo de turistas chegando à SP, para assistir o desfile e depois aproveitar a cidade vazia dos desesperados que foram para as praias. O desfile cada vez mais exuberante, nosso observador que acompanhou o sacolejar sambístico disse que o nível das escolas está cada vez mais homogêneo e cada vez melhor.

7 comentários:

claudio boczon disse...

Bom, caro folião, segundo uma imagem postada logo abaixo, em breve a Gaviões poderá homenagear a Amazônia sem ter que se preocupar com verde algum.

peri s.c. disse...

Boczon
Amazônia, de Inferno Verde para Inferno Cinza, de cinzas.
Gaviões terá que ir para a avenida na quarta-feira- de cinzas.

Fernando disse...

Pois é, Peri,
entre essas incompreensões, burrices, dos carnavalescos e o gigantismo (um carro com 130 metros, pra mim, não pode ser bacana, nunca, pela monstruosidade!) o Carnaval vai virando uma forma tortuosa de festa.
Faz tempo que não tenho o menor interesse pelo chamado Tríduo Momesco.
Sem graça e repetitivo, já deu!
abraços
fernando cals

Fernando disse...

Bom, quer dizer, amigo Peri,
são opiniões pessoais, claro!
abs
fernando cals

peri s.c. disse...

Fernando
Os desfiles das escolas de samba, no Rio e SP, viraram faz muito tempo espetáculos televisivos. O Rio leva a enorme vantagem da tradição e do charme. Mas o de SP vai chegar perto logo, logo, no quesito espetáculo como um todo. As escolas não são mais uma manifestação cultural de suas origens geográficas, como no futebol as figuras chave trocam de camisa, vão em busca dos melhores salários. Os sambas-enredo estão, opinião pessoal, de uma mediocridade assombrosa. Ontem aguentei acompanhar a letra de um só, desisti.
Enfim , nos ladramos e as alegorias passam.

No Estadão de ontem uma interessante matéria : Na Bahia dcomeçam a discutir o "esvaziamento" de conteúdo e do "modelo" da axé-music. Primeiro sinal que ainda existe alguma inteligência musical por lá.

Adelino disse...

Peri, concordo integralmente com o que disse ao Fernando. A exemplo do futebol, que virou comércio, "teatro", que pouco interessa a quantidade de público, mas sim o quanto paga o patrocinador, o mesmo aconteceu com o Carnaval também. É inacreditável, não é saudosismo nem nostalgia, mas conseguiram transformar a Terça-feira de Carnaval, que no meu tempo era o ápice dos "festejos momescos", num dia comum, morto. Pelo menos aqui no Rio. E depois vem o espetáculo da apuração das notas dos jurados para se apurar quem vencerá o "campeonato"... Campeonato, como é que pode? Que campeonato é este?
Grande abraço.

peri s.c. disse...

Adelino
Mas que é um espetáculo e tanto, isso é.
Mas o carnaval vai resistindo com os blocos de rua do Rio, os grupos tradicionais do Recife, o inacreditável carnaval só de blocos com marchinhas em são Luís do Paraitinga. Quem sabe um dia os grandes esquemas marqueteiros, tomara que impludam.
abraço